O fim de ano é apenas o 365º dia

sexta-feira, dezembro 31, 2010

Contrariando a massa darei logo no começo do meu último post de 2010, um feliz ano novo a todos, felicidades e cartões de crédito recheados de dinheiro pois é o que move a vida, me dê seu dinheiro e tente ser feliz seu hippie maldito!

É gente, quem diria? Estou entrando em meu terceiro ano como blogueiro. As visitas aumentaram, os comentários nem tanto, mas recebi parabenizações de várias partes que é o que me deixa extremamente orgulhoso. Posts idiotas e seções novas, a medida do tempo me tornei um tipo de crítico farsante melhor, com conteúdo melhor eu acredito.

Ao expor minhas ideias aqui sinto que elas crescem junto comigo, muitos concordam e acredito que muitos não, como não comentam não sei, sei que continuarei nessa para a decepção de muitos e alegria de outros. Cara, gostei dessa ideia, "amadurecer junto com as palavras", soa bem não é?

Dia 31 vejo que... na TV não está passando nada de interessante como sempre, e mais um ano está acabando... bom, na verdade ele acaba daqui a algumas horas. Então para aqueles três seres que amaram 2010 regozijem-se enquanto podem. 

Esse ano acaba pra mim com doença e preguiça (estou com dor de cabeça agora e bem gripado no dia 29 e 30, mais conhecidos popularmente como ontem e anteontem), mas deveras divertido, ficarei com saudades se não repetir enquanto puder.

Daqui a algumas estaremos sentados no sofá da sala, em pé na varanda ou a frente da mesa comendo e se empanturrando, desejando um feliz ano novo a um bando de gente que só vemos uma vez por ano, gente que mal conhecemos. Ou, em pé em alguma parte famosa do seu estado, falando merda com amigos e ao lado de um bando de gente fedorenta que nem conhecemos - muitos desses, bêbados - esperando um show de fogos de artifício inaugurando um novo ano, "e que 2011 seja melhor que 2010". Quando na verdade, acontecerão as mesmas coisas e as mesmas decepções cercadas de pontas esporádicas de felicidade. É todo mundo louco para levar os problemas pra festa de fim de ano esperando que a cerveja mascare a inconsistência de uma vida sem sentido.

Provando o que disse, a retrospectiva do ano na TV é a melhor. Todo ano é aquele que marcou a história, um ano bizarro e inesquecível. Tudo é um monte de gente morrendo e corrupção de todos os tipos. A abertura do programa é um tipo de editorial de papel higiênico feito para aqueles que assistem ficarem impressionados com o fim de ano, vendo notícias que sequer sabiam, e impressionados como o ano modou história humana. Oh que comovente, se não fosse que a cada minuto é nossa história. Posso estar escrevendo isso e arrumar um emprego num redação jornalística... Não. é pretensão demais! Vou jogar na mega-sena!

Esse ano irei sair pra algum lugar, não sei qual, como a Paulista é a única alternativa irei para lá com os meus amigos e virei, mais uma vez, como o fim de festa que cerca aquele ambiente fétido dos banheiros químicos é realmente deprimente. É a melhor alternativa pra mim já que sou um pombo doente e solitário, e não tenho uma morena gostosa ao meu lado. 

Ah... estou com uma preguiça de viver 2011, que saco. No fim acho que é isso, até porque no fim de ano se trabalha menos.

Mas já que é o último ano (ou não) de nossa existência deveras idiota na Terra, aproveitemos. Queria saber ao certo desse fim pra me demitir do meu emprego, ser um vadio convicto e beber todo dia. Mas assim como a humanidade é desde o começo, tudo é incerto, tão quanto as mulheres são.

Mas o que é o fim mesmo pra se importar? As baratas sobreviveram. 

Talvez, sendo otimista, o fim de uma era seja hoje “no fim”. 


Postado por André Prado
Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Você pode curtir também

0 comentários