Reflexões de Natal

sexta-feira, dezembro 24, 2010


Sim, o conteúdo está contido aqui e o título não resume nada pra mim, admito que não encontrei nada melhor, estou com preguiça de pensar.

Notaram que venho postando pouco, a falta de criatividade é a causa.

O objetivo inicial deste blog como um todo é reunir o meu humor, minha visão, tudo de legal que vejo por aí nesse mundo perdido da internet onde todos se perdem querendo se achar via redes sociais. Mas... chega uma hora que cansa. Talvez - e acho que é - eu queira ser mais autêntico em tudo aonde veja e toque, como este teclado, as palavras que digito. Acredito que seja só uma fase, afinal todos nós somos um ajuntado dessas tais fases. A sociedade moderna nos inflige ser seres de bom senso e paciência durante 26 horas por dia, hipócritas e mentirosos, não é mesmo?

É Natal. Refletiremos durante esse dia.

Onde está a verdadeira história da vida? Meus 22 anos passados e completados recentemente, seus X anos passando... Deixo claro que não é uma reflexão recente, não tem que ser "cabeção".

Ontem estava conversando com uma amiga pela internet...

(...)

Ah, antes de você dizer algo sobre quanto isso é... solitário, pare e pense, você sabe como é, a vida lá fora não é tão convidativa assim para aqueles que saber ser só eles mesmos, e é por isso que prefiro ficar dentro de um bar sentado. =)

(...)

Como dizia, ontem estava conversado com uma amiga pela internet, mal conversando aliás, e ela estava se queixando de como não anda tendo vontade pra nada. Palavras não instigam, animam, fazem querer, pensar, se importar. Que ultimamente anda muito difícil ter reações de qualquer tipo nas palavras dela.

Onde, é ser vegetativo.

Voltamos aos 22 anos passados. Parece que a medida de quanto você fica mais velho, menos e cada vez menos algo te encanta, te mexe. E venho notando que não é só por causa dos meus olhos, mas é um tipo de pane, algo que desconfigurou. É, a Pitty está certa.

Certamente um dia alguém nos trará de volta e nos deixará levando aquilo que reaviveu em nós. No entanto, eu acho que é preciso sentir dor se quisermos ser dignos de alguma coisa na vida. O segredo é conviver.

Triste por estar triste, conformar-se. É precisar de uma salvação, como se salvar? Deus é para os otários e esquizofrênicos. A vida nos esmaga e a sociedade tem medo de encarar isso, negar a verdade é o principal caminho para um propósito.

Espero que seja uma fase. Bom, nem espero. Quando soubermos a finalidade de tudo isso, sairemos dessa.

Desejo um Feliz Natal a todos, frente e verso, pensando livremente ou para aqueles que se empanturram. O certo é, desejar em todos os dias sem botarmos nomes.

Um feliz todos os dias de todos os meses, ok? =)

Uma frase do "velho safado" bêbado: 

"O amor é uma espécie de preconceito. A gente ama o que precisa, ama o que faz sentir bem, ama o que é conveniente. Como pode dizer que ama uma pessoa quando há dez mil outras no mundo que você amaria mais se conhecesse? Mas a gente nunca conhece." (Charles Bukowski)

Postado por André Prado
Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Você pode curtir também

0 comentários