O quebra-cabeça social

segunda-feira, fevereiro 07, 2011

Ou não seria logo um War?

Ficar sozinho muito tempo tem seu lado bom, você começa a dar valor as menores coisas, aquelas que muitas vezes passam despercebidas talvez por serem até "comuns". Dizem por aí que: "não há melhor coisa do que ser amado"; mas posso dizer que há sim.

Quando crianças somos totalmente dependentes, pois ainda não temos o discernimento de certo e errado, por isso dizem que elas não tem maldade - se o ser humano depois que nasce é corrompido, é outra história que não vamos discutir agora.

Ao nos tornarmos adolescentes vemos o mundo sem limites, quebramos a cara - muitas vezes literalmente - mas rimos, começamos a ter um discernimento de certo e errado mas nada e nem ninguém no mundo prova isso a nós. Descobrimos que há pessoas, mas que não precisamos delas por valentia e independência, o que é ótimo, mas junto vem uma boa e má notícia. A boa é que se não precisamos de ninguém, a ruim é que sim, se precisa de alguém. E aí vem toda a confusão e o furacão de sentimentos entre o amor e ódio, sempre com alguns dias de limite.

Ao sair dessa fase, entra-se na vida adulta e tudo vira um misto e ainda grande confusão até acharmos o que precisamos, a sustentabilidade necessária consigo mesmo e com a sociedade. Nessa vem o refletir mais importante que é: acima de você precisar do outro pra viver, você pode sim conquistar sozinho a sua própria satisfação, e não falo de comer até não conseguir sair da cama e comprar até entrar com pedido de falência. Por isso disse que há sim melhor coisa do que ser amado, é não depender de alguém exclusivamente para te dar esse apoio e confiança, preferir permanecer com amigos e completo em vez de compartilhar mal-sucedidamente sua mente e não conseguir absorver nada.

Sexo é muito bom, inegavelmente, mas e o depois? Assim é melhor se tornar rico logo (ah como queria ganhar dinheiro sem saber por onde e porque, como o grande Charlie Harper).

As pessoas dizem que o tempo há de curar tudo, há de mudar as coisas, que você tem que se arriscar, etc. Mas por que? Elas não sabem responder. 

Pra que se arriscar mais quando se vê o mundo podre? É loucura, é como ficar cego. Enfrentar o mundo e facilmente encontrar alguém que no dia seguinte não se pode conversar de algo porque ou, ela não dará atenção, ou nem entenderá. Ser medroso é uma coisa e ser tolo é outra. Shakespeare dizia que a amizade é o amor seguro, e pra mim, ele tem razão.

Detesto aquela frase: "homem é tudo igual", homem é isso e aquilo. É mentira isso, é desculpa de banheiro, de mulher revoltada e bêbada que coloca nos hormônios toda a culpa de ser irracional em ter começado, melhor, continuado "algo" que nem ela sabe a definição, com alguém totalmente inútil comparado a um saco de papel, que logo, só serve pra vomitar dentro. Continuando nessa frase, talvez um dos maiores defeitos do ser humano seja generalizar, entrar numa onda e ser hipócrita consigo mesmo. Enche a cara e amanhã faz tudo diferente do que pensou no dia anterior. 

O orgulho impede, homens e mulheres de serem verdadeiros. Ao sair é fácil observar um grupo de amigas encontrar um grupo de caras, e como galinhas ficarem ao redor deles. Se esse grupo de caras vai atrás delas, elas até dão bola a distância, mas se eles "chegam", elas os desprezam automaticamente e arrumam o que fazer. Falando sério, com que fim 90% das mulheres vão pra balada? Pra transar. E a mesma coisa com os homens. Ah, como o mundo seria mais simples se fosse praticado o simples. Conceito é confundido com charme e frescura. Tudo fica patético. Se homem não presta e mulher sim, porque mulher mostra mais seus sentimentos e coloca nos hormônios muitas vezes uma raiva descontrolada e insesatez? Isso não é tão nobre.

Hoje vale mais um cara atirado e cafajeste do que alguém que tem educação, se sai por ai e vê. Mulher sempre gostou disso no fundo. No começo do século ela casava com alguem todo certinho, mas ela sentia tesão por aquele cara despojado, cafajeste. Muito porque ele era livre, e ela não era, tinha inveja e queria viver com ele pra ser assim. E nos tempos modernos, chegou a liberdade e se aplicou isso, entretanto continua a mesma porcaria, por isso o anarquismo não daria certo falando de forma mais ampla. Mas claro que tem suas exceções, e acredito nelas pra poder respirar. Precisa-se voltar a aprender a se dar valor as coisas em vez só da putaria. Mas quero deixar bem claro que isso vale tanto pra mulher como homem. Porque se mulher é assim hoje, na sua maioria, é porque homem é muito filha da puta também. O mundo é assim, um se inspira no outro, e gente como eu se revolta e sente vergonha, é um misto.

Não se deve julgar ninguém, a única pessoa que pode se julgar somos nós mesmos. Mas muitos se julgam sem querer de forma ingênua, por isso se vê poucas pessoas hábeis a um dia seguinte, aquelas que se julgam são aquelas que só tem a mostrar "oi, tudo bem?". Pessoas não são descartáveis na forma pura de pensamento, mas como o pensamento não se aplica a realidade completamente; existem sim copinhos humanos que só servem pra encher seu ego. Egoísmo é bom sim, alimenta o ser humano. Ninguém coloca a máscara de oxigênio primeiro no companheiro de cadeira, e sim nele mesmo. Mas absorver um "enchimento" é tolice.

Julgamos o bom e ruim e não o merecimento. Não se tem porque "temer a vida", mas destreza é diferente de estupidez. Usando uma metáfora com trocadilho, não tem porque chupar uma bala que se sabe que não vai gostar só porque "está enfrentando a vida de peito aberto".

O desafio mesmo é você sendo sua própria plateia, sozinho, se dar um próprio sentido na vida. Nela precisamos quebrar muito a cabeça, e não a cara, pra poder se manter de pé sem tontura.

Postado por André Prado
Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Você pode curtir também

0 comentários