Confissões por papel

domingo, março 27, 2011

Que menina quando pequena nunca escreveu o que sentia por um papel?

Está ai o motivo do diário. Um cardeninho besta em que podemos dizer como foi nosso dia e o que nós pensamos de tal pessoa quando estamos com raiva.
Eu achava que só as meninas é que gostavam de escrever o que sentiam quando pequenas... Pensava que os garotos achavam escrever em diários ou algo relativo muito gay, mesmo que lá no fundo tivessem vontade.

Mas o que eu li na sala de aula outro dia fez mudar meu conceito sobre isso.

Eu estudo de manhã e a tarde a 6ª série ocupa minha sala. E olha só o que eu encontrei debaixo da carteira... Uma cartinha com declaração de "amor eterno sem fim", feita por um menino, para uma tal de "Paloma". Até sabia que existiam meninos que mandavam cartas, tanto porque eu mesma já recebi, mas achei essa um tanto quanto peculiar. Ele até fez uma versão de uma música de pagode(pragode) para ela. Eu aposto que esse garoto tem um diário, ele pareceu tão romântico, own. -n
Não pensem que estou zuando o menino e os sentimentos dele, pois eu vou queimar meu filme aqui também.


As circulações no papel foram feitas por mim, pois como eu sou maldosa e sou anti-assassinos da lingua portuguesa, queria corrigir e deixar na sala para a criança aprender. 



Essa "fersão" (não seria versão?) abaixo, como está escrito é de uma letra de pagode (pragode.)


Agora como eu disse, vou queimar meu filme um pouco. 
Esta carta, eu escrevi quando estava na 5ª série, com raiva e frustada. Meus pais estavam procurando uma nova casa, então imaginei que fosse me mudar e a garota apareceria para me chamar qualquer dia e quando fosse...
Ela teria essa surpresinha (que no final das contas nunca foi entregue, ainda bem.)



Dica: Não utilizem blogs como diários, ok? Nem tumblr hein! Melhor vocês mesmas se zuarem, do que outros tirarem sarro, ainda mais quando se fala de sentimentos, que deixa tudo tão gay e cômico. 

Postado por André Prado
Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Você pode curtir também

0 comentários