Somos um acidente

segunda-feira, março 28, 2011


Não decidimos nada, nada das decisões mais importantes, aquelas que fazem o que nós somos. Somos infligidos pelos acontecimentos que nos acometem e apenas isso, sem defesa, não há nada do que se possa fazer. De decisão mesmo, temos aquela de nos cegar de alguma forma ou de enxergar. Quem enxerga se preocupa quando o sangue escorre, quem se cega, sangra com a consciência de que aquilo é como se fosse um corte ocasional do dia-a-dia. E só. Quem dos dois é mais feliz? Como se pode responder, se felicidade são apenas acontecimentos como tais compromissos marcados numa agenda?

Nunca mais peço nada sinceramente, desisti. Pois não acho que merecemos coisa melhor, merecemos o que merecemos. Apenas faço a minha parte e a obrigação de ser alguém que se insira com alguma harmonia na sociedade, convivendo com o lado humano egoísta para minha sobrevivência. Apenas agradeço por aqueles que convivem com o que sou, sem crenças cegas como eu prefiro não ter. Aquele que é quase sempre sarcástico, às vezes irritado, sempre sincero, e por demais humano.

Pessoas reclamam da amargueza das outras, mas eu entendo. É uma sinceridade triste. Seja pra aqueles que não têm o que comemorar, ou seja daqueles que tem tudo na mão. Esses são os mais vazios, nunca comemoram de verdade.

É apenas perseverar, mesmo que seja lentamente. Em suma, somos um acidente.

‎"Nunca pedi para ser do jeito que sou
Nunca quis que minha vida fosse assim
mas suponho que não há motivo para se queixar
Para quem é que eu vou me queixar?" - 
Charles Bukowski

Postado por André Prado
Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Você pode curtir também

0 comentários