Te mando catar coquinho se você me chamar de metaleiro

segunda-feira, junho 06, 2011


Domingo passado, o Fantástico colocou Paul McCartney e Exaltasamba juntos. Não, não foi um mash-up ou algo similar (ainda bem), somente foi na mesma matéria. Então como dar mel pra um urso, logo eles receberam uma enxurrada de mensagens de fãs dos Beatles indignados por causa da matéria. E ontem o Fantástico resolveu fazer uma reportagem sobre isso com o pretexto de "investigar" o que poderia ter irritado tantos os fãs dos Beatles porque será?

Nisso o programa - pagando um bom cachê com certeza - levou um grupo de nomeados "metaleiros" do vento preto que espalham a escuridão e as trevas pelo mundo, para show de pagode. Você pode ver aqui a reportagem.

Bom, para começar quem acompanha meu blog sabe que eu curto heavy metal e sabe que eu falo o que acho mesmo. Eu como qualquer ser que gosta de um estilo musical, ainda mais sendo heavy metal, logo reprimo o outro estilo musical que não gosto; afinal não se é nada true quando se empunha a espada em vão! Assim como o cara é considerado uma aberração pelos pagodeiros de raiz por gostar de rock. Gostando de um estilo musical, se reprime a outra coisa automaticamente, é a lei das coisas.

Então essa reportagem me soou como tipo da reportagem inútil, e estou falando isso sendo alguém que a assistiu. O povo fala que não devia ter preconceito algum no mundo e etc, pagando de benevolente e altruísta. Mas o que se vê sempre, é a pura hipocrisia, pois preconceito é algo que todo mundo tem, sendo religioso ou não, gostando de uma filosofia ou não, time, partido, qualquer conceito ou preferência. Não tem como não dizer que a humanidade não é segregada, a evolução foi feita dessa maneira, com segregação. E quem sabe nós headbangers não geremos uma nova raça com o poder do Deus Metal e naturalmente abençoados pelo vento preto desde a gravidez de groupies incessantes por sexo e cerveja... Mas falando sério, logo ao nascer, até a criança começar a interagir socialmente, a própria mãe diz para "não se misturar coma gentalha", isso é um tipo de preconceito pra mim ou não? Se você vê como preconceito, Chaves é uma grande piada de mau gosto.

Tal qual egoísmo, preconceito é algo que todo mundo deve ter e admitir isso; e tal qual como religião e tantas outras filosofias, o que vale é como você pratica o que sabe e aprende, para mim, só reconhecendo seu estado como pessoa é possível se melhorar. O que vale mesmo é tolerância de gosto de opções perante a outro. Preconceito todo mundo tem, eu, você, eles e o resto dos pronomes. Temos o direito de gostar e reprovar algo, ainda mais questões musicais. Sinceramente duvido que os caras do Exaltasamba gostariam do fundo do coração que um headbanger fosse lá no show deles, ou como indaguei minha mãe na hora, "você gostaria que um Sampa Crew fosse citado numa reportagem do Scorpions?".

Sendo o que for, pagodeiro, rockeiro, é a índole que define uma discussão de certo e errado. Portanto, como disse, é o tipo da reportagem enchedora de "pauta twitteira" com final feliz, e discussão para pagar de falso moralismo, sem contar ser um motivo pra chamar alguma psicóloga pro assunto.

Ninguém nasce jogando na parede o aparelho de som ligado no pagode que o médico colocou, gosto é algo que se adquire com o tempo pura e simplesmente. E aceitar o semelhante a ponto de escutar a música que ele ouve, não é benevolência, é idiotice. 

Como a Desciclopédia diz: "Rockeiros são pessoas que, por serem superiores , odeiam os pagodeiros. Encaram o Rock como modo de viver e não como um estilo de música, então se vestem do jeito que querem pois macho não se preocupa com roupa e (pensam) que vivem como seus ídolos. A linguagem usada é a do "fuck", linguagem adolescente que abusa dos palavrões (Ex: porra! caralho muito foda o show dos Stones) e 99% das vezes usam linguagem americana (ex: fuck! fucking fucked the fuckin Stones` show").
E por último, "metaleiro" é aquele que faz metal, não tem rótulo mais escroto que esse. Agora sim o título que coloquei faz sentido né?

Postado por André Prado
Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Você pode curtir também

0 comentários