Violência, o motivo é a cerveja?

quarta-feira, junho 22, 2011


Se liga na notícia que você pode ver completa aqui:

A Câmara analisa o Projeto deputado Paulo Pimenta (PT-RS), que institui contribuição sobre a importação e a produção de cerveja com álcool, bem como sobre as despesas com publicidade e propaganda do produto. A contribuição será recolhida ao Tesouro Nacional e destinada ao Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP). O objetivo é reduzir o consumo de cerveja com álcool e aumentar os recursos destinados aos órgãos de segurança pública. Segundo Pimenta, a proposta é fruto das conclusões dos trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito que apura violência urbana. "É inegável a influência do consumo de bebidas alcoólicas no cometimento de atos de violência, bem como a necessidade de incrementar o volume de recursos públicos destinados aos órgãos de segurança", afirma.

Serão contribuintes: o importador (pessoa física ou jurídica) da cerveja com álcool; a pessoa jurídica que promover a industrialização do produto; e a pessoa jurídica que efetuar o pagamento, o crédito, a entrega, o emprego ou a remessa de valores a pessoas físicas ou jurídicas como contraprestação por serviço de propaganda e publicidade deste tipo de bebida.

Como bom humano, sou consumidor de cerveja. E não é por consumir que fico revoltado com uma notícia dessa, fico revoltado por ser um cidadão pensante. Pelo que eu entendi, o preço aumenta, o consumo não muda; a cachaça continua por ai pra quem quiser beber... Enfim... A solução sempre é aumentar o preço da cerveja ou de alguma coisa detrás de um discurso moralista e de ordem. Tributam cerveja para acabar com violência, mas eles não são burros. Se eles sabem que o povo consome, logo tacam mais impostos sobre o produto pra conseguir mais dinheiro; afinal sabem que o povo não vai deixar de consumir. Colocar a culpa no álcool é como dizer que a culpa do estupro é da mina de saia curta. E só dela.

Acho que a sugestão é óbvia, mas vou colocar aqui no texto: Que tal se ao invés de encarecer ou aumentar os impostos, os deputados usarem esse dinheiro em investimentos na educação?

Bom, não é proibindo ou encarecendo o produto que vai sanar os problemas, aliás nenhum problema. Humanos são humanos, e ter uma índole e responsabilidade passa pela educação, assim ela cria consciência de seus atos. Saca "quebrar a cara" mesmo, porque só assim aprende? Atos e consequências, e firmes se o Estado atua? Não sei pra você, mas pra mim violência na verdade é uma pessoa encher a cara, bater um carro, matar três pessoas, pagar uma mixaria de fiança e ficar solto - que nem aconteceu com um jogador recentemente. Sem contar o assalto violento nos bolsos, que sofremos a cada vez que respiramos o ar brasileiro.

Entrando em outras esferas. A decisão é sempre da pessoa, e eximir humanos de culpa é o que os próprios fazem melhor. É acreditar em Deus e o Diabo saca? Deus pra tudo que acontece de bom, e o Diabo pra tudo de ruim. Nessa a pessoa se exime de culpa, e do mérito também no caso. E essa lei é exatamente nessa linha. A responsabilidade nunca é da pessoa, "mas estamos encarecendo o produto pra esse cara não comprar".

Violência tem num estado que não tem lei. A cerveja não é a culpada, o culpado é o próprio Estado que não pune de forma devida aquele que sai da linha. Se o cara não tiver consciência do ato dele, sendo punido por isso, ele continua. Nisso por causa de alguns, milhões são punidos da mesma forma, pagando mais e pra esse mesmo governo e assim continua nosso sofrimento nosso de cada dia.


Eu bebo, mas não encho a cara. Não encho a cara porque acho estúpido fazer, e ponto. É como tampar uma vida sem sentido com outro ato sentido, penso assim... Eu tenho educação, e conceitos pra tal. E a função do Estado deveria ser essa também, educação é o início de tudo, formar um país melhor através de um povo melhor. Mas sabemos que o Estado não iria se preocupar com isso, pois quanto mais burro o eleitor for, melhor pra eles. É jogo de interesse e uma máscara quando tá na televisão. É dar dinheiro pro povo ficar feliz em uma solução imediatista. O Bolsa Família é exemplo.

Violência não tem nada a ver com álcool e sim com a índole e caráter de cada um, o álcool só traz a tona esse animal. A natureza agressiva esta dentro de cada um. Tem gente que faz o que faz e joga a culpa no álcool. E quando não, em possiveis traumas e problemas psicológicos.

Sabe? Depois dessa vou ate tomar uma.

Postado por André Prado
Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Você pode curtir também

0 comentários