Resenha CD: Gojira - Terra Incognita

domingo, maio 20, 2012

Sabem como a vida tem momentos, e em momentos dessa vida se acaba escutando um som mais agressivo e em outras... não.  Indo pra uma esfera maior, a música pesada é um caso particular, são... momentos. E ter certos sons descrevendo parte da sua vida, é o que torna a música no seu âmbito mais puro especial. Na verdade é por isso que o rock n' roll em suas mais variadas vertentes é o som da rebeldia.

No caso do Gojira é o tipo daquelas bandas que naquelas andanças pela internet acabei conhecendo, entretanto por não simpatizar com o som da banda, deixei de lado. Pode ser porque não me simpatizei com o álbum especificamente e simplesmente, no caso o "From Mars To Sirius" de 2005, mas depois de um tempo resolvi dar uma nova chance a banda, e não é que não me arrependi com "Terra Incognita"?

Para quem não conhece - e digo muita gente -, o Gojira é uma banda de death metal progressivo formada em 1996 na França pelos irmãos Duplantier. Conhecidos por terem um som pesadíssimo, caótico e experimental; suas letras abordam temas como a vida, temas espirituais e ecologia. Curiosamente a banda se chamava Godzilla até 2001, mas teve que mudar seu nome por questões burocráticas e autorais para Gojira, como o Godzilla é conhecido no Japão.

Quando se pensa em "death metal progressivo" logo se lembra de seu maior expoente, o Opeth; todavia é justamente esse o charme das bandas que tem o rótulo de progressivo. Apesarem de ter em comum o som pesado e o vocal gutural, nunca serão parecidas. Se o Opeth é como se fosse a narrativa do seu melhor pesadelo, o Gojira representa todo o caos.

Relançado em 2010, mas lançado originalmente em 2001, o debut "Terra Incognita" nos apresenta por ora vocais alternando entre o limpo, gritado e urrado, uma bateria seca e caótica, e guitarras cortantes e pesadas com riffs mais rápidos e por vezes arrastados; é um death metal predominantemente, mas muito bem trabalhado.

Difícil descrever o som da banda exatamente em palavras, mas preste bem atenção em "Clone", a primeira faixa do álbum. Pesadíssima e especialmente grudenta por isso, com riffs cortantes e bateria caótica, como a tendência de todo o álbum. Destaques vão para a "Satan Is a Lawyer" com sua guitarra arrastada e seu climão pop em contrapartida, a "Space Time" com seus vocais limpos e suas variações, a instrumental "on the B.o. t. a" em que a atração principal é a bateria e o baixo, e as pedradas na orelha "Love" e "Rise" classicamente death metal.

Enfim, é difícil um debut de uma banda surpreender mais do que o terceiro álbum da mesma, mas não é que acontece? "Terra Incognita" é de chutar a porta.

Tracklist:

1. Clone
2. Lizard Skin
3. Satan Is a Lawyer
4. 04
5. Bown Me Away You (Niverse)
6. 5988 Trillions de Tonnes
7. Deliverance
8. Space Time
9. On the B.O.T.A
10. Rise
11. Fire Is Everything
12. Love
13. 1990 Quatrillions de Tonnes
14. In the Forest

Bonustracks (Relançamento 2010)

15. Clone (Live)
16. Love (Live)
17. Space Time (Live)

Postado por André Prado
Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Você pode curtir também

0 comentários