Resenha CD: Moonspell - Alpha Noir/Ômega White

sexta-feira, junho 22, 2012

Estava devendo uma resenha desse álbum duplo fodástico. Mas vamos falar de um de cada vez.

"Alpha Noir" é o 10º registro da carreira do Moonspell e nos mostra toda excelência que a banda adquiriu durante todos esses anos de estrada.

Ao contrário do excelente e pesadíssimo "Night Eternal" lançado 4 anos atrás, "Alpha Noir" é bem menos gótico, mas não menos agressivo não preocupando os puristas. Transitando mais pelo thrash e death de fortes influências de King Diamond, Bathory, Metallica e Testament de acordo com a banda, "Alpha Noir" viaja de forma simples e bela entre o clima sombrio e gélido. Esse clima em grande parte é graças ao vocalista Fernando Ribeiro de vocais cada vez mais fortes tanto nos guturais quanto nos limpos, provando porque é um dos melhores vocalistas da atualidade dentro de seu estilo.

Em todas suas 9 faixas desde a agressiva "Axis Mundi" até a fantástica instrumental "Sine Missione", temos aqui um Moonspell cada vez mais maduro. Destaquemos além dessas duas a single "Lickantrope", a thrash e sombria faixa-título "Alpha Noir", e a cantada em português "Em Nome do Medo" de solo belíssimo e comprovando toda a competência de Fernando Ribeiro de criar letras instigantes e cativantes.

Se não bastasse a excelência de "Alpha Noir", o Moonspell trabalhou em mais um álbum, "Ômega White". Acompanhando "Alpha Noir" em versão especial, o álbum nos apresenta outra faceta (excelente) da mesma banda, se em "Alpha Noir" temos um Moonspell agressivo, em "Ômega White" temos uma banda melódica e soturna e que vale a pena de ser apreciada.

De acordo com ela mesma, de fortes influências de Type O' Negative e The Sisters Of Mercy, evidente nas faixas "White Skies" e "New Tears Eve", homenagens que não poderiam serem mais verdadeiras tanto quanto belíssimas. "Ômega White" carrega um sentimentalismo que não se via há tempos no Moonspell. Das puras sombras também cito destaques como a abertura com "Whiteomega", a de belo violão "Fire Season", e a "New Tears Eve" nos fazendo sentir estar numa rua escura e fria.

Aqui foi tudo mixado por Tue Madsen, que já tinha trabalhado com a banda em "Under Satanae" e "Night Eternal". Nos dois álbuns ele nos entrega uma produção excelente, a melhor da carreira da banda, assim como as duas capas de artes belíssimas. 

Se em "Night Eternal" pensava-se que a banda atingiu seu auge, essa dupla "Alpha Noir/Ômega White nos desmente totalmente. Então o que será que nos espera?

Um dos melhores do ano!

Tracklist:

- Alpha Noir

1. "Axis Mundi" 4:56
2. "Lickanthrope" 3:49
3. "Versus" 3:39
4. "Alpha Noir" 4:39
5. "Em nome do medo" 4:28
6. "Opera Carne" 3:52
7. "Love Is Blasphemy" 4:31
8. "Grandstand" 4:53
9. "Sine Missione" 4:58

- Ômega White

1. "Whiteomega" 4:21
2. "White Skies" 3:34
3. "Fireseason" 4:29
4. "New Tears Eve" 4:45
5. "Herodisiac" 4:46
6. "Incantatrix" 4:40
7. "Sacrificial" 4:11
8. "A Greater Darkness" 7:24


Postado por André Prado
Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Você pode curtir também

0 comentários