A origem do termo MEME

quarta-feira, agosto 15, 2012


Um meme, termo criado em 1976 por Richard Dawkins no seu bestseller O Gene Egoísta, é para a memória o análogo do gene na genética, a sua unidade mínima. É considerado como uma unidade de informação que se multiplica de cérebro em cérebro, ou entre locais onde a informação é armazenada (como livros) e outros locais de armazenamento ou cérebros. No que diz respeito à sua funcionalidade, o meme é considerado uma unidade de evolução cultural que pode de alguma forma autopropagar-se.

Os memes podem ser ideias ou partes de ideias, línguas, sons, desenhos, capacidades, valores estéticos e morais, ou qualquer outra coisa que possa ser aprendida facilmente e transmitida enquanto unidade autônoma. O estudo dos modelos evolutivos da transferência de informação é conhecido como memética.
Quando usado num contexto coloquial e não especializado, o termo meme pode significar apenas a transmissão de informação de uma mente para outra. Este uso aproxima o termo da analogia da “linguagem como vírus”, afastando-o do propósito original de Dawkins, que procurava definir os memes como replicadores de comportamentos.

Segundo Dawkins, possuímos dois tipos de processadores informativos distintos: O genoma ou sistema genético situado nos cromossomas de cada indivíduo e determinante do genotipo. Este DNA constitui a natureza biológica vital em geral e humana em particular. Mediante a reprodução, os genes transmitem-se sexualmente durante generações. O cérebro e o sistema nervoso permitem processar a informação cultural recebida pelo ensino, imitação (mímesis) ou assimilação, divisível em ideia, conceito, técnica, habilidade, costume etc, e chamados “memes” com certa ambiguidade.

A tese mais importante de Dawkins é que os traços culturais, ou memes, também se replicam. Por analogia com a agrupação genética nos cromossomas, considera-se que os memes também se agrupam em dimensões culturais, incrementáveis com novas aquisições culturais. A grande diferença é que, enquanto os cromossomas são unidades naturais independentes de nossas ações, as dimensões culturais são construções nossas. Então, a cultura não é tanto um conjunto de formas de conduta, mas a informação que as especifica.

Posteriormente, o termo deu origem aos famosos “memes de internet” tão conhecidos entre os navegantes como um definição aproximada do real significado que era a transmissão de idéias, frases, bordões, série de pessoas, vídeos, imagens, canções, fatos etc. que se popularizaram primordialmente na Internet, tornando-se verdadeiras celebridades instantâneas. Tal fato se torna cada vez mais comum graças à solidificação da chamada Web 2.0. Uma vez notórios na Internet, passam então a figurar nos demais meios de comunicação, como programas televisivos e revistas semanais e, em alguns casos, pessoas chegam até mesmo a alcançar fama e reconhecimento em outras mídias, como imprensa escrita e televisão.

Retirado do Nerd Pride

Postado por André Prado
Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Você pode curtir também

0 comentários