Sobre a morte de Chorão

quarta-feira, março 06, 2013


Vou até pular a parte dos detalhes sobre a morte do vocalista, pois acho que todo mundo já leu e viu um monte sobre isso. Viu tanto, que na Record (pra variar) na reportagem tinham fotos de seu corpo. Macabro e sensacionalista é pouco num jornalismo cada vez mais pobre e podre.

É regra entre o povo de que qualquer famoso - rockeiro principalmente - que acaba morrendo, é drogado. Como rockeiro que sou, me enoja a cada vez ler certos esteriótipos desrespeitosos, principalmente esse.

Ele usava drogas? Sim. É conhecido de que ele usava cocaína e teve uma forte recaída. Mas porque então acho "drogado" algo desrespeitoso? Simplesmente porque ninguém está aí para o fato de ele ser um ser humano e ter uma vida, assim como os mesmos que criticam tem. Penso que para alguém que já tem distúrbios e a fama, ver ruir um casamento de 15 anos é um tanto sofrido para dizer o mínimo...

Não importa o caminho que ele trilhou e menos ainda o respeito, importa é fazer o que sempre faz e fingir que não tem problemas, como se aqueles que logo apontam o dedo acusador não o tivessem também. Os motivos dados são vários e todos são os primeiros para levantar a mão pra dizer: falta deus, falta humildade, falta vergonha na cara, falta talento mesmo, é um "louco" que merecia morrer... Pois é, hoje li um comentário em que dizia que o Chorão "viveu a vida usando roupas estúpidas e morreu com um terno". Infeliz é pouco.

Já fui fã de Charlie Brown Jr. É o tipo daquelas bandas que marcaram minha adolescência, e marca até hoje. Com defeitos e qualidades, a banda era inegavelmente talentosa, assim como poucas das bandas da geração "coca-cola" de hoje em dia são.

Não estou aqui para pagar de moralista e nem aqui para defender o Chorão pelo o que ele fez ou deixou de fazer. Mas sim para achar patético, como sempre acho, atitudes de pessoas idiotas. Por isso costumo generalizar ao criticar, pois metade assume o que diz e a outra metade é totalmente hipócrita.

Postado por André Prado
Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Você pode curtir também

0 comentários