Resenha CD: Ghost - Opus Eponymus

quarta-feira, abril 24, 2013

Em 2010 "Opus Eponymus" estava sendo lançado na praça, e logo no seu debut o Ghost causou tanto impacto que músicos influentes como James Hetfield e tantos outros headbangers que logo saíram por aí declarando amor a banda. Porém por outro lado muitos outros acusaram de o Ghost apenas reciclar o que já vinha sendo feito, embarcando numa onda retrô e vivendo muito mais do apelo midiático.

Esse "hype" de amor e ódio se deve a dois fatores:

O primeiro seria o marketing onde muito de seu mistério e de seu espírito reside na figura de seu vocalista Papa Emeritus II (que reza a lenda seria um ex-vocalista de death metal da banda Repugnant, Tobias Forge) que aparece vestido como papa usando uma máscara em forma de caveira. E não sejamos hipócritas, o Ghost soube usar muito bem o marketing que criou pra vender seu som, arrisco até a dizer que seu rápido sucesso se deve a isso. Ou você acha que o Kiss e o Slipknot não fizeram o mesmo?

O outro ponto é que a banda apenas reviveu muitas ideias clássicas e embarcou na onda revival. Pessoalmente, demorei pra ouvir a banda e criar curiosidade pra comentar - afinal já se passam três anos e o Ghost está com mais um álbum aí na praça. E confesso que por esse tratamento da banda como "salvação" do gênero, tive até uma irracional afastamento da banda por todo esse seu "hype" inicial. Mas aproveitando a passagem da mesma pelo próximo Rock In Rio em setembro, tinha que conhecer a banda mais atentamente, e apenas munido da ideia de gosta do som que a banda pratica, pude atestar que o som com cheiro de anos 70 soa como uma grande viagem no tempo.

Carregada de fortes influências de Blue Öyster Cult e do Mercyful Fate, o Ghost pega emprestado muito do ocultismo de uma e da imagem mais satanista de outra, fazendo uma mistura bem agradável de se escutar. Contrastando esse apelo ocultista, letras satanistas, uma teatralidade cativante, e com pegada rock/heavy sensível e pop. Apesar da banda carregar fortemente influências do passado, o Ghost tem sua cara bem definida.como banda e justifica todo esse apelo midiático que ele tem. Sendo um produto de marketing ou não, é fato que seus integrantes uniram seu som com a mídia que conquistaram de forma muito competente.

Tendo nove e impactantes faixas, o som cheira a poeira, mas nunca soou tão bacana. A voz suave do Papa Emeritus contrasta com guitarras heavy e teclados vintage, e tudo nunca soando mais como deveria. O álbum começa na fúnebre abertura "Deus Culpa", mas a próxima "Con Clavi Con Dio" logo dá as caras do que devemos esperar do álbum. Com um baixo e uma das melhores aberturas de primeiras faixas que pude escutar em muito tempo, Papa Emeritus já brada aos ventos: "Lucifer. We Are Here. For Your Praise. Evil One". "Elizabeth" que homenageia a condessa Elizabeth Bathory, carrega fortemente um Mercyful Fate nas suas guitarras e o Black Sabbath através de seu solo; clássico instantâneo. É só abrir a mente para curtir a psicodelia desses suecos, e se você curte heavy metal não é preciso fazer muitos esforço pra isso.

É tarefa ingrata destacar faixa-a-faixa. Da sua introdução até seu fantástico encerramento na instrumental "Genesis", os pouco mais de trinta minutos de "Opus Eponoymus" passam tão de forma tão desapercebida que é mais justo fazer o que fiz, dar uns destaques e deixar o resto na curiosidade. Assim como talvez Papa Emeritus faria. Não é necessário reinventar a roda para ser relevante.

Integrantes

Papa Emeritus II - Vocalista.
Nameless Ghouls I - Guitarra
Nameless Ghouls II - Guitarra
Nameless Ghouls III - Baixo
Nameless Ghouls IV - Teclado
Nameless Ghouls V - Bateria

Tracklist

1. "Deus Culpa" 1:34
2. "Con Clavi Con Dio" 3:33
3. "Ritual" 4:28
4. "Elizabeth" 4:01
5. "Stand by Him" 3:56
6. "Satan Prayer" 4:38
7. "Death Knell" 4:36
8. "Prime Mover" 3:53
9. "Genesis" 4:03

Postado por André Prado
Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Você pode curtir também

0 comentários