Resenha Cinema: Meu Malvado Favorito 2

quinta-feira, agosto 08, 2013

Meu Malvado Favorito 2 é a sequência do ótimo e simpático primeiro filme de 2010. Tudo aqui que adoramos no primeiro filme está de volta, os dubladores, a direção, Agnes, Gru e os Minions. Sequências de filmes de animação não costumam se dar tão bem, a raras exceções como Toy Story. Sejam quantas forem as sequências o sucesso de bilheteria está garantido, afinal os pequeninos sempre vão estar nas salas e muita gente que viu o primeiro vai acabar vendo o segundo. Mas aí que crescemos e acabamos ficando chatos, acabamos por ter um olhar crítico e ver que o segundo filme não está a sombra do primeiro. E esse é o caso do Meu Malvado Favorito 2.

No primeiro a história básica é em torno de Gru, o vilão nº 1 do mundo que com a ajuda de Dr. Nefasto e dos Minions realiza os maiores roubos do mundo. No entanto isso muda um dia quando nas notícias da TV, Gru acaba vendo que um vilão chamado Vetor realizou um roubo maior que ele, ou seja, as pirâmides do Egito. Gru então arma roubar a Lua. Mas como diminuir algo tão grande? Gru com o Dr nefasto criaram o "raio encolhedor", mas um belo dia ele é roubado por Vector, e assim que ele conseguiu roubar as pirâmides. É aí que na vida de Gru acabam aparecendo as três meninas orfãs, Edith, Margo e a menor e fofa Agnes, vendendo doces na sua porta. Para reaver seu "raio encolhedor" ele precisa das três meninas, e por consequência acaba tendo que adotá-las. E aí vocês sabem o que aconteceu, Gru se acostumando com a convivência e vendo a diferença que as meninas fizeram na sua vida. Ele acaba por virar um pai exemplar.

Três anos depois no segundo filme, Gru (dublado por Steve Carrell e na versão brasileira por Leandro Hassum), agora pai exemplar, é sequestrado por uma agente da Agência Anti-Vilões e levado para o diretor da organização Silas Bundowski. A missão de Gru é ajudar a organização a descobrir quem foi o autor do roubo de um laboratório secreto no Ártico que tinha uma substância perigosa chamada PX-41, e para isso ele tem como parceira a mesma agente (e fã) que o sequestrou, Lucy.

O grande elemento da trama é arrumar um par romântico para Gru, Lucy, enquanto o filme tenta se basear nas histórias de espionagem, com um cômico vilão mexicano. Basicamente é isso, revelar mais é estragar a surpresa da trama - que já não é quase nenhuma.

Como eu disse, sequências de animações costumam decepcionar, e a causa é a busca de mais sucesso. Ao contrário do que tivemos no primeiro, aqui temos os personagens reciclados, mas poucas ideias que tentam dar sentido maior ao filme; caindo no "clichê do par romântico" e "cara bom contra cara mau". Sai do cinema satisfeito com a diversão, mas não tanto como estive no primeiro filme, principalmente porque o título do filme na sequência perdeu seu sentido. O vilão do primeiro é o Vetor, aqui acaba sendo El Macho (dublado por Sidney Magal), e esse não chega nem perto do carisma do primeiro. E que não é nenhuma surpresa, já que você acaba adivinhando que é ele antes da metade da trama.

No primeiro filme, foi divertidíssimo ver Gru percebendo que ser bom não é tão ruim assim, junto com o relacionamento com as meninas (agora não órfãs). As piadas eram mais bem divididas entre os personagens, com destaque aos Minions (que são um show a parte), mas no segundo filme as meninas acabaram sendo bem relegadas ao segundo plano e a relação de Gru com a doida Lucy, apesar de bacana e das risadas, pareceu uma fórmula desgastada. Já os Minions é um caso tão a parte que vão ganhar filme próprio em 2014. Eles continuam tão legais, customizáveis, engraçados e legais quanto antes. Sendo amarelos, ou roxos quando o vilão acaba injetando a fórmula secreta neles. E a paródia de YMCA no final foi digna de dar gargalhadas!

Infelizmente Meu Malvado Favorito 2 não atendeu a expectativa que tive, até porque na minha concepção não tinha muito mais história a se contar. Claro que animações tem um lado maior prezando a diversão, e Meu Malvado Favorito 2 se sai bem de novo nesse quesito, inclusive na dublagem (digna de aplausos); mas incomodou comparar com o primeiro e acabar percebendo que esse era bem mais fraco. O que salva é o carisma conquistado por todos os personagens, principalmente Gru, Agnes e os Minions. Vamos ver até aonde vão as ideias da Ilumination, que apareceu com uma boa concorrente da Pixar; e até aonde a franquia vai, agora já tendo anunciado o spin-off dos Minions.

Despicable Me 2 - EUA , 2013 - 98 minutos
Animação / Comédia

Direção: Pierre Coffin, Chris Renaud
Roteiro: Ken Daurio, Cinco Paul
Elenco original: Steve Carell (Gru) / Kristen Wiig (Lucy) / Benjamin Bratt (El Macho)

Postado por André Prado
Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Você pode curtir também

0 comentários