A opinião de Hitler sobre o PS4k... E a minha

A atuação de Bruno Ganz no filme "A Queda" é tão épica que essa cena serve pra praticamente qualquer tipo de polêmica. Essa foi uma das melhores!


Bom, deixando o humor de lado, darei uma opinião também sobre esse preço absurdamente absurdo, tão absurdo que dá para eu ir e voltar dos EUA com um XOne, Wii U e um PS4 debaixo do braço. 

Muito já foi dito em fóruns e em reportagens sobre o preço do Playstation 4, e nem resta muito a mim. Mas hoje a Sony resolveu dar suas explicações em meio a enxurrada de protestos e piadas sobre os 4 mil tão fora da realidade, e achei um bom momento para expor minha opinião de forma mais justa, já que agora temos os dois lados apresentados. 

Fazendo um cálculo bem simples, de acordo com a Sony os impostos brasileiros chegam a 63% do valor final do console e a margem do varejista e distribuidor chegam a 22%. É uma continha chata e enrolada, mas não é preciso de muita inteligência pra acabar percebendo que o preço acaba indo além do aceitável. 

Atente-se também pro fato de que os impostos incidem sobre o preço inicial, não no preço final (para o consumidor). Os impostos ficam entre os 63%, mas esse valor pode ser bem diminuído (cerca de 50%) se o console pudesse ser montado no Brasil, e não lá fora como é o caso do PS4. Esse porém encarece muito o preço. Entretanto entendo também que o lado de o console ser fabricado por aqui requer um investimento de enorme, algo que depende tanto da boa vontade da própria empresa em explorar um mercado tão grande, como do governo brasileiro de não roubar tanto dinheiro de todo mundo que tem algum.

Leia aqui a entrevista de Mark Stanley, executivo da Sony responsável pela divisão da América Latina, sobre o preço do PS4 em que declara: "Por esse valor não gostaríamos de vender sequer um PS4 no Brasil". E daí tire suas próprias conclusões.


Levando em conta de que o console não é fabricado no Brasil (o que diminuiria seu valor pela metade), a pergunta que fica é: como o Xbox One passando pela mesma tarifação e burocracia, tem quase a metade do preço, mesmos sendo US$ 100 mais caro lá fora? Claro que tem subsídios, mas o console do Tio Bill também não é fabricado no Brasil, e a conclusão que se tira é que faltou para gigante japonesa um tato gigantesco tanto de mercado como mesmo em marketing, principalmente se tratando do Brasil que eles tanto "afagaram" na conferência da E3 com conteúdos na nossa língua natal. Bom, nesse planeta o que manda são lucros e mais lucros. 

Apesar das explicações, é claro o olho gordo da Sony. É a burrice de cobrar um preço absurdo sabendo que tem outros produtos equivalentes bem mais competitivos, um bom exemplo são suas TVs da linha Bravia. Tentar eletizar de algum jeito o já burocrático e taxado mercado gamer, é um tiro no pé.

As respostas mais claras virão na conferência da Microsoft na Brasil Game Show nesse mês, mas um fato dá pra afirmar: a empresa que saiu tão atrás da Sony (no meu ponto de vista), com esse preço acabou virando para os brasileiros uma alternativa clara para a próxima geração de consoles, e com até o Wii U entrando na jogada! A antipatia é enorme, e a Sony perderá milhares de fãs (inclusive eu) brasileiros e consequentemente dinheiro, já que contando os "nativos" conscientes, o console acabará encalhando nas prateleiras. 

Lembre-se também que puxando pela memória a Sony sempre colocou seus consoles nas alturas, e com o tempo foi abaixando o preço até tornar algo mais agradável aos bolsos. Aqui no Brasil a maioria dos gamers está acostumada a geração passada dos consoles justamente por causa do preço de lançamento. Somente um protesto de grande proporção, poderia fazer a Sony se coçar a abaixar o preço diante de seus consoles encalhados nas prateleiras, mesmo com seu console importado e cheio de impostos. Mas duvido que isso aconteça, já que sempre há gente apressada e que procura status de ter algo que os outros não tem. 

Portanto, para esse Natal é melhor guardar nosso dinheiro e investir num PS3. Tá bom demais!

Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Voltando
Next Post »
Comentários
0 Comentários
0 Comentários