Resenha Filme: Machete Kills

Machete Mata é um filme que NÃO pode ser levado a sério. Ponto. Robert Rodriguez nos ensinou isso ao longo dos anos.

Sendo assim é possível ter a melhor compreensão do filme mais bagaceira lançado nos últimos tempos. Se em Machete de 2010, Danny Trejo encarnando o espanhol protagonizou cenas épicas e sem nenhuma noção, aqui o negócio ultrapassa qualquer bom senso!

Tudo começa quando nada menos do que o presidente dos Estados Unidos, interpretado por Charlie Sheen (que interpreta ele mesmo e que é portanto uma espécie de extensão de Charlie Harper), recruta Machete (Danny Trejo) para impedir um líder do cartel mexicano que ameaça a soberania americana. Em troca Machete teria seu visto de cidadão americano aprovado e todos os seus crimes esquecidos.

Com a proposta tentadora, Machete vai para a fronteira encontrar a sua informante, Miss San Antonio (Amber Heard) que lhe fornecerá mais detalhes de como chegar a líder do cartel, Marcos Mendez (Demian Bichir). Acontece que o cover do Marcos Mion é um completo xarope (assim como ele) de dupla personalidade, de um lado reacionário pacifista e de outro um completo assassino cruel e sanguinário. Desse último lado ele tirou a brilhante ideia de instalar um dispositivo ao seu coração que é ligado ao míssil que ele quer lançar contra Washington, sendo assim, se ele morrer, bum!

Dai por diante dá-lhe mortes e mais mortes cheias de explosões absurdas, sangue, cabeças decepadas, tripas, e bundas pra todo lado; tudo com os piores efeitos especiais possíveis. E com direito a líder das prostitutas portando um belo sutiã metralhadora e um pênis atirador, a Desdemona (Sofia Vergara); e um assassino de aluguel chamado camaleão, interpretado por Cuba Gooding Jr, Lady Gaga, Antonio Banderas, entre outros.

Ao decorrer da trama, Machete descobre que o vilão da história não é aquele babaca bi-polar, e sim quem está por trás dele, alguém muito maior. Podre de rico e com poderes (!) o megalomaníaco à la 007 e Doutor Destino interpretado por Mel Gibson, Voz, em seu plano estaparfúdio, quer destruir não só destruir a "amada" América de Machete, mas como todo o mundo para dar início a uma raça humana superior.

Machete pra mim rendeu cenas memoráveis, e Machete mata não conseguiu o mesmo feito, e esse é o principal problema. Atrapalhado pelo próprio roteiro absurdo, o filme apresenta diversos personagens ofuscando a estrela principal. O papel de Machete infelizmente acaba sendo reduzido a algumas piadas (não que ele deva falar muito), e por vezes acaba faltando ritmo ao filme. Outra coisa é que praticamente não temos uma sequência de luta aqui.

Claro que todos sabem que Machete vai direto ao ponto, esse é o estilo dele, nada de mimimi. Machete mata! Mas um bom exemplo é se lembrar da luta final contra Steven Seagal no seu primeiro filme, aquilo sim foi de se lembrar. Já em Machete Mata, como disse, não acontece isso. Voz não ia se dar a esse "luxo" (e creio que o terceiro filme servirá justamente pra esse "clímax"), então a luta acaba sobrando para seu capanga Zaror (interpretado pelo lutador mexicano Mark Zaror), mas nem com ele uma luta mais intensa acaba acontecendo, é três golpes e acabou. Coadjuvante é coadjuvante.

Espero que a bagaceira maior aconteça na sequência que se ambientará no espaço. Sim, no espaço. Por essa você não esperava... Absurdos maiores nos esperam!

Até lá, não perca Machete e não perca Machete Mata. Quem gosta de dar umas boas risadas, e não é um chato moralista que não gosta de ver umas tripas na tela derramadas sem motivo aparente. O herói interpretado por Danny Trejo é mais uma vez recomendadíssimo!

Machete Kills - EUA - 2013

Direção: Robert Rodriguez
Produção: Sergei Bespalov / Aaron Kaufman / Alexander Rodnyansky / Robert Rodriguez
Roteiro: Robert Rodriguez / Kyle Ward

Elenco:

Danny Trejo (Machete Cortez)
Jessica Alba (Sartana)
Michelle Rodriguez (Ché)
Mel Gibson (Voz)
Demián Bichir (Mendez)
Charlie Sheen (O Presidente)
Amber Heard (Miss San Antonio)
Sofia Vergara (Desdemona)
Lady Gaga / Cuba Gooding Jr / Antonio Banderas (La Chaméleon)
Alexa Vega (Killjoy)
Marko Zaror (Zaror)

Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Voltando
Next Post »
Comentários
0 Comentários
0 Comentários