Resenha CD: Mastodon - Once More 'Round The Sun

Quem se arrisca a escrever sobre algum assunto, por mais que entenda dele, muitas vezes se perde nas palavras. Se perde porque o assunto que ele trata transgrediu qualquer expectativa, evoluiu e simplificou surpreendentemente sem perder sua genialidade.

O que dizer de "Once More 'Round The Sun" dos americanos do Mastodon? Assim como seu gênero dentro do heavy metal é, e sempre foi, totalmente indecifrável e limitado a descrição de influências de aqui de ali, o Mastodon mais uma vez nos entrega um disco que é fácil um dos melhores da década.

Esse Mastodon de outrora, antes visto com suas melodias complexas capazes de criar um gênero único pra si, e dentro que conhecem do progressivo e do heavy metal, se foi, a muito tempo.

Uns depois de escutarem "Once More 'Round The Sun" podem dizer: "oras, mas o Mastodon se tornou comercial?". Sim, digamos que tornou-se. Realmente são melodias mais acessíveis, onde saíram as partes intrincadas e quase guturais de Troy Sanders, para dar lugar a vocais compartilhados por toda a banda: o já citado Troy também no baixo, Brent Hinds na guitarra, Bill Kelliher na guitarra e Brann Dailor na bateria (esse que é o baterista mais notável dos últimos tempos). Contudo, não sejam meros "moleques" de mente fechada que não são capazes de ler um livro hoje em dia. Com uma audição atenta, há muito mais em "Once More' Round The Sun" do que se pode esperar.

E quem diria que o Mastodon começaria um álbum com um violão? Nem os mais preparados para o inesperado esperavam essa. "Tread Lightly" nos dá um soco na cara de tanta fúria acumulada.

Seguindo temos faixas como o single "High Road" como se o Black Sabbath tivesse tomado uma dose cavalar de thrash metal, a faixa tem um refrão que fica difícil de não cantar por aí. E refrão forte é o que temos na espetacular "Ember City", com um trabalho de bateria digníssimo de Brann Dailor

A faixa título do álbum "Once More 'Round The Sun" com seu climão hard rock e facilmente digerível, surpreende pela sua pegada sem perder em nenhum momento a característica principal que se chama Mastodon. E nessa mistureba de influências ainda temos a "Chimes At Midnight", carregada de Deftones e uma dose na espinha pra sair quebrando tudo pela casa, fazendo inveja aos que tentam por aí fazer aquele thrash metal mais moderno.

Ainda nessa fortíssima influência, temos a "Asleep In The Deep" que mostra um Mastodon numa faceta irreconhecível, de misturas latentes, serenas, até pop, e mesmo assim espetacular. E para encerrar o álbum de forma magistral, temos a épica "Diamond In The Witch House" com os vocais desesperados de Brent Hinds.

Trilhando os caminhos do predecessor "The Hunter" de 2011, o Mastodon, parafraseando o título do álbum, "deu uma volta no sol" e foi além, além da onde eu e o mundo inteiro não poderia esperar. Transformando a simplicidade, equalizando modernidade, e transpirando o peso do heavy metal em um trabalho que é difícil de não ouvir mais de uma vez, e que no jeitão Mastodon de ser, se habilita fácil a ser um "Black Album" do século XXI .

Tracklist

1. "Tread Lightly" 5:14
2. "The Motherload" 4:59
3. "High Road" 4:15
4. "Once More 'Round the Sun" 2:58
5. "Chimes at Midnight" 5:32
6. "Asleep in the Deep" 6:12
7. "Feast Your Eyes" 3:23
8. "Aunt Lisa" 4:08
9. "Ember City" 4:59
10. "Halloween" 4:39
11. "Diamond in the Witch House" 7:49


Entre tantas coisas que eu penso, na verdade, não tem nada melhor na vida do que meus heróis, um bom rock n' roll, cerveja, fritas, e um bom papo com uma boa companhia.

Voltando
Next Post »
Comentários
0 Comentários
0 Comentários