Comparando as duas franquias do Homem-Aranha e a do Sam Raimi é bem melhor!

segunda-feira, outubro 20, 2014


Faz 12 anos, DOZE, que o primeiro Homem-Aranha dirigido por Sam Raimi saiu nos cinemas, e esse junto ao X-Men de Bryan Singer foi considerado por muitos, e por mim, o ponto de partida para o Universo Marvel e o futuro Universo DC que estarão nas telonas logo logo. É, estamos ficando velhos.

Apesar de ter tido ótimos lucros e ter fechado uma trilogia de forma até respeitável, apesar do terceiro ser bem mediano, exatamente dez anos depois os executivos da Marvel vislumbraram que um quarto filme não sairia. Os principais astros e o diretor não chegavam a um acordo com a produtora e o roteiro não avançava. Para solucionar esse problema e para não correr os riscos de perder o herói-ovos-de-ouro em contrato com a Marvel (calma que explico isso mais pra frente), resolveu "rebootar" o personagem, ou seja, recontar sua história novamente. O resultado foi "O Espetacular Homem-Aranha". Dirigido por Marc Webb e mais baseado no universo Ultimate da editora, tem um Peter Parker mais jovem, mais moderno, e um Andrew Garfield que encarnou um Aranha mais cômico do que o nosso amigo Tobey Maguire. 

Porém, antes que alguém me xingue perguntando o que são esses tais direitos, vou explicar. 

A Marvel, sim, a grande Marvel, passou por uma grave crise financeira sem precedentes nos anos 90, o que a obrigou a empresa vender os direitos de seus personagens a outros estúdios para descolar uma graninha e conseguir uns direitos sobre os lucros dos filmes de seus personagens. De lá para cá pela New-Line Cinema tivemos a adaptação de Blade: O Caçador de Vampiros, e daí as produtoras viram o potencial das adaptações de HQs no cinema. Então atualmente o Homem-Aranha ainda pertence a Sony e o X-Men e Quarteto Fantástico a Fox, Porém muitos outros personagens da editora, como Motoqueiro Fantasma, Elektra e Demolidor tiveram suas adaptações realizadas e outros como Capitão América nem chegaram a ver a luz do dia. Foi aí que o jogo virou. 

Dado a péssima recepção do público as péssimas adaptações que os estúdios realizavam, e aproveitando que muitos personagens nem tiveram filmes realizados por essas produtoras, a Marvel em 2006 resolveu fazer o próprio jogo sozinha. E foi aí que surgiu o Homem de Ferro e o resto todo mundo conhece, mas o ponto que quero chegar é: o que daria em contrato uma extensão dos direitos sobre os personagens que a Marvel cedeu é se o estúdio, a Fox por exemplo, fizesse um filme sobre ele dentro de um prazo de alguns anos, se passasse esse prao os direitos voltariam automaticamente para a editora. O que aconteceu com Demolidor por exemplo, e foi por isso que a Sony se obrigou a fazer um reboot de seu principal personagem. Tudo são lucros,

O Homem-Aranha de Sam Raimi, como disse, começou (junto com Blade e X-Men) o lance todo do que conhecemos hoje dos filmes de super-heróis, e se temos um Universo Marvel para nos agradar hoje, primeiramente devemos agradecer a Sony e a Fox (produtora de X-Men) por se arriscarem nesse nicho. Se hoje apedrejamos as duas empresas (com justiça) por asfixiarem e ridicularizarem personagens da Marvel da qual adquiriram diretos, como Demolidor, Motoqueiro Fantasma, Elektra e Quarteto Fantástico. Foram exatamente essas produtoras que nos entregaram filmes de qualidade que guardamos com carinho em nossas lembranças, como é o caso do Homem-Aranha e sua sequência (não o terceiro). Sejamos justos.

A história todos conhecem. Peter Parker (Tobey Maguire) é um jovem muito estudioso que mora com seus tios, Ben (Cliff Robertson) e May (Rosemary Harris), desde que seus pais faleceram. Inteligente e com um grande interesse pela ciência, Peter tem dificuldade em se relacionar com seus colegas, por ser tímido e considerado um "nerd". Até que, em uma visita dele a uma demonstração científica sobre aranhas criadas geneticamente, um acidente inesperado faz com que um desses animais pique Peter. A partir de então seu corpo é quimicamente alterado pela picada da aranha, fazendo com que Peter adquira as habilidades de aranha. 

A grande sacada do personagem e o que o faz ser tão querido por todos, é que o Homem-Aranha é gente como a gente. Um pouquinho de Peter Parker está em cada nerd e um pelo menos um pouquinho da vida dele se encaixa perfeitamente do jovem comum. Estudar, gostar de uma garota mas não saber como falar com ela, trabalhar para conseguir dinheiro para impressioná-la... ter o sonho de ganhar algum poder! 

O caminho da direção de Sam Raimi foi optar por seguir a história mais tradicional do Aranha, e salvo falhas, é a história que todos conhecem e mais se identificam. Quando fui ao cinema ver Andrew Garfield no uniforme do Aranha, não senti a mesma identificação. Domingo assisti o primeiro Homem-Aranha na Globo e percebi que, apesar de assistir os dois filmes em diferentes épocas no cinema, com o filme protagonizado por Tobey Maguire tive exatamente a sensação contrária do longa com Andrew Garfield. Foi o que me motivou a escrever esse texto. 

O personagem era o mesmo, o universo era o mesmo (salve alterações), mas o fato de viver novamente a mesma história tendo ainda a primeira trilogia tão viva na mente, foi um dos fatores que provocaram essa desaprovação. Enquanto o primeiro filme com Sam Raimi foi ótimo, o primeiro com Marc Webb foi apenas razoável pra bom, o que é muito pouco pra esse herói. Isso sem contar a falta da frase clássico do Tio Ben "com grandes poderes, vem grandes responsabilidades" na versão mais nova, preferir a Mary Jane a Gwen Stacy, e o fato de o Espetacular Homem-Aranha não conseguir ter nenhum fator suficientemente diferente que o faça se diferenciar de seu irmão predecessor. 

Não assisti o segundo filme da franquia "A Ameaça de Electro" e infelizmente digo que nem tenho interesse. Só comparar com o segundo filme da franquia que o precedeu, tínhamos Dr. Octopus como vilão, cá entre nós que bem mais expressivo que o Electro, e um terceiro filme que o Duende Macabro é bem mais ameaçador que o Harry-emo-Osborn que vemos no segundo filme. Enquanto na franquia de Sam Raimi tivemos toda um desenvolvimento do personagem que nos fez entender a motivação que Harry tinha em se tornar o Duende Macabro, Marc Webb resolveu pular essa parte e jogar logo na cara o Harry tretando com o Parker. Evidentemente foi um meio encontrado pra diferenciar uma franquia da outra, afinal, seria desnecessário contar de novo a mesma história. Porém isso acabou "bagunçando" todo o desenvolvimento que o espectador casual tinha com os personagens e só reafirmou como esse "reboot" foi desnecessário, e como ele só teve motivações financeiras. 

A resposta do público tá aí nos lucros. Enquanto a Sony com seu Espetacular Homem-Aranha amarga um fracasso, a Marvel colhe os louros de todo um universo bem desenvolvido. Mas a Sony já anunciou o terceiro filme e o quarto da franquia do Aranha para 2016 e 2018 respectivamente, e ainda dois filmes para expandir seu universo: Sexteto Sinistro (formado por Dr. Octopus, Abutre, entre outros), e do anti-herói Venom. A dúvida é: como a Sony vai encaixar todos os membros do grupo na história? Ou é a derrocada da Sony obrigando-a a ceder seus direitos de volta para a Marvel (algo improvável apesar de um possível fracasso), ou o seu caminho para a redenção de seu principal personagem, Sinceramente torço para a segunda opção.

Monopólios são péssimos em qualquer meio da nossa vida, e por mais que a Warner/DC esteja aí planejando lançar seus filmes, a Marvel está anos-luz de distância dela. Portanto as únicas produtoras capazes de fazer frente a Marvel são a Sony e a Fox. Quanto mais tivermos filmes de heróis feitos por diversas produtoras, melhor. Por mais que adoraria que o Homem-Aranha voltasse para as mãos da Marvel, afinal, ele faz parte dos Vingadores em certo momento, e em vias da adaptação do arco da Guerra Civil nos cinemas a participação do Aranha se tornar quase indispensável para termos a adaptação mais fiel dos quadrinhos no cinema. A ruindade da Sony ultimamente e a Fox com sua boa recuperação no arco dos X-Men com "Primeira Classe" e "Dias de Um Futuro Esquecido", fazem a Marvel não se acomodar no seu Universo. É como um bom jogador tiver um bom reserva na sua posição. Bom, vá lá, nem tão bom assim...

Por outro lado, se a DC se estabelecer de vez nos cinemas, o papo é diferente. A Sony e a Fox inevitavelmente vão ficar como meros espectadores, e delicado é o caso da Sony, pois se o terceiro espetacular Homem Aranha e o filme do Sexteto Sinistro provarem-se fracassos, é até bem possível o estúdio se render dando de volta os direitos do Aranha à Marvel. 

Bom, tudo isso são especulações. Só sabemos que nos próximos anos acontecerá muita coisa ainda, e espero que nesse meio tempo a Sony trate melhor meu personagem querido e o que mais fez parte da minha infância. Aguardemos.

Postado por André Prado
Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Você pode curtir também

0 comentários