Resenha CD: Texas Hippie Coalition - Ride On

Conheci o Texas Hippie Coalition em 2012 através das caixas de som do computador do meu amigo, naquele mesmo ano a banda havia lançado "Peacemaker", e coincidentemente a banda anunciaria sua vinda ao Brasil no Manifesto Bar aqui de São Paulo. O southern rock de guitarras pesadas e vocal (e vocalista) inconfundível me conquistaram logo de cara. Portanto, não demorou quase nada para ligar um ao outro e ganhar uma experiência inesquecível na minha vida. Simples assim. Foi o melhor show da minha vida com direitos a gole de whisky compartilhado pela banda, autógrafo e foto com o vocalista da banda; coisas que só um local mais intimista como o Manifesto poderia proporcionar, O THC é uma das bandas mais legais da atualidade, mas o que torna ela tão legal pra mim, é justamente essa relação próxima e intensa que tive com ela e não tem nada mais bacana que isso meus caros!

Bom, na resenha de "Peacemaker" tentei ilustrar o som da banda como uma mistura de "terra vermelha com um Opala 74", e não se preocupe que esse cheiro em "Ride On" continua intacto. O southern rock calcado em Pantera, Black Label Society e principalmente nos riffs e refrões grudentos da melhor parte do rock dos anos 80 fazem o THC ser legal assim como é. Cantarolante, dançante; impossível de deixar o pé e a cabeça parados.

A abertura com "El Diablo Rojo", primeira música a ser divulgada no canal da banda no YouTube como single, é possivelmente a melhor do álbum na minha opinião. Facilmente ela poderia se encaixar em "Peacemaker" e ela é certamente promessa de sucesso nos shows da banda. A seguinte, "Splinter", se assemelha bastante ao hit "Pissed Off and Mad About It" e é tão grudenta quanto bacana, impossível não passar o dia com ela fora da rádio incidental que temos chamada: mente. Seguindo temos a ótima "Monster in Me" mesclando muito peso ao clima característico texano da banda e a pesada baladona "Go Pro" pra cantar junto. Cantar junto aliás é o lema do álbum. "Rock Ain't Dead" é um exemplo bem claro e com o punho em riste a "Bottom of the Bottle" nos chama pra briga. "Ride On" é a melhor do álbum juntamente com a "El Diablo Rojo", com a cara do THC. 

Ufa... 

Bom, é chover no molhado falar sobre as três faixas restantes... Vá atrás do álbum urgentemente!

Fazendo um breve resumo de "Ride On", sinceramente ele não tem nada de que eu possa apontar como defeito, não há músicas que decaiam comparado a qualidade do resto do álbum, talvez a "Rubbins Racin" vá lá, contanto, creio que seria capricho e chatice minha apontar tal faixa curtindo tanto o álbum em sua totalidade como curti. Basicamente, os fãs vão se satisfazer facilmente e quem não é pode começar a conhecer a banda por aqui sem problema algum. Coeso e com a cara da banda, é evidente que o caminho encontrado e muito bem-sucedido de "Peacemaker" não fariam a banda se arriscar muito, então nada mais natural do que entrar naquele velho conceito de que em time que está ganhando não se mexe. Para a nossa alegria! 

Curiosamente sobre álbum bom como esse não consigo ficar escrevendo e enrolando muito, e parafraseando, no caso o som vale mais que mil palavras, concorda?

PS: Aproveitando a resenha pra entrar brevemente num outro assunto: infelizmente o Texas Hippie Coalition não é tão conhecido no Brasil quanto deveria e poderia. Seus álbuns são difíceis de se encontrar por aqui, mesmo importados. Fã que é fã gosta de comprar o material original e a alternativa atual é apelar para o download ou acabar importando o CD físico na Amazon por exemplo, num preço que com a conversão e possível tributação tornariam o CD caríssimo. Aliás esse é um ponto a favor para o download, graças a ele conheci a banda e tenho certeza com que com muitas outras pessoas, e com muitas outras bandas, acontece o mesmo. Resta torcer para que gravadoras e distribuidoras como a Hellion olhem com carinho para o THC e divulguem seu trabalho por aqui.  

Tracklist

1 El Diablo Rojo
2 Splinter
3 Monster in Me
4 Go Pro
5 Rock Ain't Dead
6 Bottom Of The Bottle
7 Rubbins Racin'
8 Ride On
9 Fire In The Hole
10 I Am The End

Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Voltando
Next Post »
Comentários
0 Comentários
0 Comentários