Resenha CD: AC/DC - Rock or Bust

domingo, novembro 30, 2014

O AC/DC vem passando pela época mais turbulenta em sua carreira desde os anos 80 com a morte de Bon Scott. Como se não fosse suficiente a descoberta do diagnóstico de demência (redução progressiva das capacidades cognitivas) de Malcolm Young, o baterista da banda Phil Rudd recentemente foi acusado de tentativa de assassinato (!). Tal acusação já foi retirada pela polícia neo-zelandesa, mas as acusações de posse de drogas como metafetamina e maconha, além de ameaças de morte a diversas pessoas próximas permanecem e Phil continua enrolado com a lei.

Daqui de casa imagino que Angus Young esteja desnorteado com tudo isso, de um lado ver seu irmão e braço direito na banda sofrer com uma doença degenerativa (algo que Angus declarou que vinha dando sinais claros na turnê passada do "Black Ice"), e de outro ver seu baterista enrolado em drogas pesadas faltando com responsabilidade no que pode ser dos últimos momentos do AC/DC.

Para o lugar de Malcolm a substituição ficou em família, o seu sobrinho Stevie Young será o encarregado da guitarra; e na bateria apesar das acusações de Phil Rudd, Angus não confirma a saída do baterista do grupo e por enquanto sua confirmação na turnê da banda segue em xeque.

Justamente a cozinha do AC/DC ruiu. Mas dizem que quando estamos passando por grandes dificuldades, surge a hora crucial em que nos tornamos mais fortes pra seguir em frente. As turbulências aconteceram bem as vésperas do lançamento do álbum "Rock or Bust", e talvez nessas duras penas, o AC/DC tenha nos entregado um dos melhores registros de sua longa carreira, assim como foi "Back In Black" na sua época que se tornou um clássico inquestionável e atemporal.

Donos de uma fórmula que eles mesmo criaram e aperfeiçoaram, Angus e cia. superaram as adversidades e entregaram o melhor trabalho desde "Ballbreaker" de quase 20 anos atrás e mais bem produzido que seu antecessor "Black Ice".  Nas adversidades mostramos quem somos, e o AC/DC voltou e mostrou o que representam para o rock n' roll. De novo. O "AC/DC é tudo igual" e com orgulho!

Se "Black Ice" lançado a distantes seis anos foi um grande álbum, "Rock or Bust" conseguiu realizar a difícil missão de superá-lo a milhas de distância. É ouvir a faixa título "Rock or Bust", o single fácil e cantarolável de "Play Ball" para levantar da cadeira e fazer seu air guitar - ou para os mais discretos, se imaginar no palco tocando os acordes que saem a guitarra de Angus.

O álbum é difícil de parar de ouvir, que o diga as excelentes "Baptism of Fire" e "Dogs of War" que não saem de mim. "Rock or Bust" é mais simples e menos grandioso, é um feijão com arroz mais bem feito da história. Sem temperos, apenas com um salzinho, o álbum é uma saudação as melhores influências musicais e acordes que o AC/DC moldou em sua carreira. E tomado pelo seu espírito, nem precisei fazer o que sempre faço quando escrevo uma resenha de um álbum pro blog que é ouvi-lo repetidamente três ou quatro vezes buscando coisas que não absorvi em apenas uma audição.

É muito bom ouvir novamente aquele rock n' roll simples e dinâmico saído das guitarras de Angus Young e os versos saídos da voz esganiçada de Brian Johnson. A sensação que tenho a toda vez que ouço um novo trabalho do AC/DC, é que como se aquele velho e distante amigo de infância me encontrasse aonde eu fosse e viesse me visitar novamente. O AC/DC para qualquer ser versado em rock é passagem obrigatória em vida e morte. E como é bom te rever grande amigo!

Tracklist

1."Rock or Bust" 3:04
2."Play Ball" 2:47
3."Rock the Blues Away" 3:24
4."Miss Adventure" 2:57
5."Dogs of War" 3:35
6."Got Some Rock & Roll Thunder" 3:22
7."Hard Times" 2:44
8."Baptism by Fire" 3:30
9."Rock the House" 2:42
10."Sweet Candy" 3:09
11."Emission Control" 3:41

Postado por André Prado
Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Você pode curtir também

0 comentários