O que rolou na E3 de 2015 cheia de novidades!

sexta-feira, junho 19, 2015


Quando me perguntam se quero comprar um console da nova geração respondo sim por ser uma novidade e um olhar para o futuro, e não porque estou satisfeito com meu PS3.

Deixando de lado o "detalhe" gigantesco do preço e a perfumaria de as empresas quererem transformar os consoles em centros de entretenimento, dá pra contar nos dedos os lançamentos bombásticos que me façam sonhar em adquirir um deles futuramente - lentidão que deixa claro que tá cada vez mais difícil produzir um game hoje em dia.

Além de cada produção de um "Call Of Duty" da vida requerer muita gente, muito trabalho e muito dinheiro envolvido, as continuações e a pouca criatividade na mecânica da maioria dos gêneros servem para "pagar" esse custo, por isso vemos tantas sequências e DLCs que parecem dar a entender que o game veio "aos pedaços" aliado a uma dificuldade menor na busca de um público cada vez maior ($$$). É justificável o adiamento contínuo dos grandes jogos se olharmos por esse lado, afinal, estamos cada vez mais exigentes e o mundo anda cada vez mais capitalista.

Não acredito que isso irá mudar um dia, essa é a regra do jogo. E já que toda crise tem sua oportunidade. é nesse vácuo dos grandes lançamentos que as produtoras de jogos indie veem sua brecha para atingir os grandes públicos. Porém, se eu comprar um PS4 ou um Xbox One não quero ficar refém disso. Pareceu ontem que o PS4 e o Xbox One chegaram às prateleiras, mas já fazem 2 longos anos. Um console tão caro e poderoso jamais pode ficar refém de YouTube e Netflix, de curtos jogos indie de qualidade duvidosa, e muito menos das remasterizações de "The Last Of Us", "God Of War", "GTA 5" e "Gears Of War" que visam tampar o buraco da retrocompatibilidade (mas na verdade é para faturar mais uma graninha); a diversão e satisfação tem que pagar o alto investimento, certo? É aí que mais uma E3 veio para trazer esperança e mostrar que as empresas tendem a nos entregar games mais bem concluídos, um tratamento mais especial para o Brasil e finalmente, menos continuações e mais novidades,

A maior feira de games do planeta, a E3, foi realizada em Los Angeles do dia 14 até o dia 18 desse mês e como sempre mostrou novidades no mundo dos games, e boas novidades, já que a E3 do ano passado foi resumida a continuações e remasterizações, mas muitos adiamentos e poucos exclusivos para o Xbox One, PS4 e Wii U. A realidade virtual do Oculus Rift e HoloLens já está virando realidade, e a Nintendo continua em passos lentos e uma leva maior de games para os consoles da Sony e da Microsoft foram mostradas e empolgaram. Vamos conferir alguns gameplays primeiramente da Nintendo:

A Nintendo e suas Nintendices

Após uma apresentação na E3 do ano passado realmente empolgante pelo número de anúncios e inventividade de seus games, esse ano a empresa fez sua conferência no último dia 14 e se focando em apresentar games que vão ser lançados nesse ano e no começo de 2016, nada de "The Legend Of Zelda"de novo amigos. Resumindo, não apresentou nada que não imaginávamos. Mas Nintendo é Nintendo e faz "Nintendices".

O foco claro é no portátil 3DS onde a Nintendo fatura horrores, nas variações de Mario e Zelda que parecem divertidos pra cacete e em jRPGs como "Fire Emblem", mas o Wii U apesar de seus passos lentos apresenta novidades ainda esse ano, como "Star Fox Zero", "Xenoblade", um jogo fofinho do Yoshi, um "Mario Tennis" em alta definição e o "Mario Maker" que já conhecíamos e incrementa a comemoração dos 30 anos do Mario, onde você pode criar e incrementar as fases como quer usando diferentes universos dos jogos do Mario entre as eras. Promissor!











Sony e sua conferência arrebatadora!

No dia 15 a Sony fez uma conferência que balançou Los Angeles, simplesmente em uma hora e meia ela mostrou o aguardadíssimo remake do "Final Fantasy VII", a ainda existência de "The Last Guardian" que desde 2013 é desenvolvido pelos criadores de "ICO" e "Shadow Of The Colossus", e "Shemnue 3" que renasce das cinzas do falecido Dreamcast graças aos fãs, que através do Kickstarter simplesmente em poucas horas doaram os US$ 2 milhões necessários para o desenvolvimento do game. Isso que é ser fã!

Além dessas três bombas mais um gameplay do interessante shooter apocaliptico da Ubisoft "The Division" foi mostrado (e espero que saia algum dia), finalmente pudemos ver os aguardados "Uncharted 4" e 'Rise Of Tomb Raider" em ação, "Street Fighter V", o "Hitman" acompanhando o reboot do filme, e os anuais "Assassin Creed" chamado "Syndicate" se passando na Londres de 1868 durante a Revolução Industrial e um novo "Call Of Duty" foram revelados.

Já a novidade mesmo foi reservada para "Horizon Zero Down" realizada pelos criadores de "Killzone", onde num mundo pós-apocalíptico de máquinas gigantes, a natureza retomou seu lugar e a humanidade voltou a se organizar em pequenas tribos. O legal é que disponibilizaram um gameplay bem extenso dando pra se interessar bastante pelo game.

E o Project Morpheus? O óculos de realidade virtual da Sony não teve jogos anunciados, mas o gadget está com o lançamento marcado para o primeiro semestre de 2016.












A Microsoft em mais uma conferência consistente

Também no dia 15 a Microsoft fez sua conferência e não ficou muito atrás da sua rival. Mostrando bons games como os de sempre "Halo", "Forza Motorsport" (lindo como sempre) e "Gears Of War" (que não só ganhou a remasterização dos últimos três jogos mas um quarto capítulo), o terceiro capítulo de "Dark Souls" anunciado oficialmente pela Bethesda e a sequência gelada de "Tomb Raider" num gameplay belíssimo, sem contar que o andamento do dispositivo holográfico HoloLens promete pirar a cabeça dos malucos pelos bloquinhos do Minecraft e é bem empolgante tecnologicamente para qualquer pessoa que curta esse nicho.

Tivemos novidades da Rare (que finalmente deu as caras) com o curioso "Sea Of Thieves" e a revelação, muito esperta por sinal, de um pack que promete reunir os 30 principais clássicos da produtora como "Conker's Bad Fur Day", "Battletoads", "Perfect Dark" e "Banjo Kazooie" (numa sessão de nostalgia do Nintendo 64) que serão vendidos por "míseros" US$ 30! Claro que "Donkey Kong Country ficaria fora da brincadeira por pertencer a Nintendo, e "Goldeneye" ficou fora da brincadeira simplesmente não se encaixou nas escolhas finais da produtora por títulos fundamentalmente originais dela... Pois é.

De qualquer forma, bem vinda de volta Rare!
















Já sobre o console a empresa do Tio Bill também divulgou novidades. Um novo controle modular e remapeável chamado "Elite" para o Xbox One e para os PCs com Windows 10. Mas você se pergunta qual a utilidade disso? Sem contar o fato dos sistemas serem cada vez mais unificados, com esse controle sua preocupação de o stick analógico ter quebrado acabou. É só comprar a pecinha correspondente e trocar, algo que é uma tendência para o futuro dos gadgets que temos por aí como os smartphones. O problema é que ele vai ser carinho, uns US$ 150 dólares. Ui!

A segunda novidade é a maior, mais bombástica e mais esperada pelos brasileiros: agora todos os jogos do Xbox 360 que você tem ou tinha serão compatíveis com o Xbox One. Na nova atualização que será disponibilizada no fim do ano, a retrocompatibilidade terá um funcionamento bem simples: um emulador de Xbox 360. Você coloca o CD no drive e ele grava o jogo para o HD fazendo um tipo de biblioteca, mas nem pense em jogar o disquinho fora, pois você precisará dele.

Bom, pelo menos o TODOS da frase é só uma promessa e é complicado de fazer, afinal, o licenciamento de diversos jogos não depende somente da Microsoft, então terão prioridade propriedades intelectuais da empresa, como Halo e Gears of War por exemplo, A lista por enquanto é pequena e nenhum jogo vai chamar lá sua atenção, mas lentamente a empresa vai liberando o acesso e você pode ajudar a Microsoft a resolver qual jogo ela vai liberar primeiro o acesso. Legal né? "Red Dead Redemption" lidera a lista seguido por tã dã "Call Of Duty: Black Ops II".

Já a Sony não tem nenhum interesse nisso após a experiência fracassada que eles tiveram com o PS3 x PS2 nos primeiros modelos comercializados do console e que a própria Microsoft anunciou a retrocompatibilidade entre os jogos do primeiro Xbox no Xbox 360 na época de seu lançamento, mas o que vimos na prática foi que pouquíssimos títulos tiveram essa opção. Bom, do primeiro Xbox lembramos muito pouca coisa, então essa retrocompatibilidade tende a ser bem mais ampla continuando com a tradição de os consoles da empresa serem uma "mãe" para os jogadores e o PS4 sendo o irmão fresco da história. O que é uma pena, pois a retrocompatibilidade de um PS3 x PS2 comparado a PS3 x PS4 é uma baita diferença.

Bem que a Sony poderia pensar com mais carinho sobre isso, levando em conta principalmente de que a maioria da distribuição é digital e não precisa ser muito esperto para perceber que muitos jogos são atemporais.

Tá, mas e o tal do "Oculus Rift"?

Em um evento pré-E3 a Oculus apresentou seu óculos de realidade virtual para PCs, o Oculus Rift, e os tão aguardados jogos para a plataforma. Em comunicado oficial, a Oculus disse que diversas produtoras, várias dessas independentes, estão se esforçando para lançar conteúdo para a plataforma e que não faltará apoio para elas. Além de uma provável parceria entre a a empresa e a Microsfoft possibilitando de que futuros jogos do Xbox One venham a se adaptar a essa tecnologia. Será bem interessante!

Entre as primeiras novidades mostradas no vídeo abaixo estão um game da Insomniac (produtora de "Ratchet and Clank") em terceira pessoa, ambientada nos contos gélidos de H.P. Lovecraft chamada "Edge Of Nowhere". E qualquer coisa que tenha o nome de Lovecraft me empolga!


Bom, essa foi a cobertura da E3 feita pelo Descafeinado, obviamente feita de São Paulo diretamente da minha casa e não lá de Los Angeles, mas eu tentei aqui abrangir os principais lançamentos e deixar um pouco da minha opinião acerca esse mundo dos games dessa edição que entrou pra história! Você já deve ter percebido que pra mim a Sony saiu vencedora, por pouco.

Será que agora essa geração de PS4, Xbox One e Wii U finalmente vai? E você, se tivesse 4 mil dilmas na mão compraria um dos consoles agora ou esperaria (bem) mais um pouco como eu?

Fontes: Omelete, Gizmodo e Arkade.

Postado por André Prado
Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Você pode curtir também

0 comentários