Resenha Animação: Valente

Normalmente a gente critica algo ou alguém quando sabemos que esse atingiu um patamar bem melhor, o que chamamos da tal da crítica positiva. Para a animação "Valente" feita em 2012 pela Pixar é bem esse caso.

E ah, acho o mundo medieval fascinante e a sacada da Pixar na época em se tratar desse tema foi bem bacana.

Aqui acompanhamos a habilidosa arqueira e impetuosa filha do Rei Fergus e da rainha Elianor, Mérida, numa luta para quebrar regras de um tempo e uma terra cheia de tradições e lendas míticas que passam de geração para geração.

Mérida é um garota viva, sempre contrariada pela sua mãe que quer que sua filha seja uma princesa e se porte como uma, Mérida até aceita sua condição de princesa, ama sua mãe e seu reino, mas é contra qualquer ideia de ser o que ela não é. Sabe quando um pai ou uma mãe que quer que sua filha se torne advogada quando ela quer ser artista plástica? Bom, esse caso explica muito do roteiro escrito e dirigido por Brenda Chapman. E obviamente, tudo se torna pior quando aprontam o casório da menina num duelo pela sua mão, o que deixa Mérida puta da vida e faz ela pedir a uma bruxa misteriosa um feitiço que faça a sua mãe mudar de ideia sobre tudo isso. Só que desde que o mundo é mundo aprendemos que feitiços nunca funcionam. E Mérida juntamente com sua mãe transformada em urso tem que aprender o verdadeiro significado da coragem em dizer o que realmente sente.

"Valente" é o primeiro filme da Pixar que traz uma protagonista feminina e que tambem é dirigido e roteirizado por uma mulher. Esse tom "conto de fadas" da animação claramente o fez receber críticas mais frias, e tornou o filme bem mais simples do que outros realizados pelo estúdio. Lembram do que eu disse sobre expectativas? A Pixar nos deixou mal-acostumados e é difícil aceitar algo que seja abaixo da média... =/

Não me entenda mal, a animação é bem feita, fofa na medida certa e linda em cada detalhe do reino das Terras Altas da Escocia, óbvio, traz toda a qualidade Pixar consigo. Adoro o tempo medieval. Mas como disse, é um dos poucos filmes em que dá pra entender de que a Disney fez questão de colocar a mão a frente para quem sabe vender mais brinquedos como "Carros" e fazer uma história que se identificasse mais com as baixinhas, deixando mais de lado uma característica forte da Pixar que sempre foi a de aliar histórias carregadas de emoção e moral com um roteiro singular como "Up", "Wall-E" e humor inigualável como "Os Incríveis" e "Ratatouille". Talvez o simbolismo maior do que a animação quer dizer é o cabelo de Mérida, que volumoso e selvagem, vai totalmente contra ao da sua mãe, comportado e bem penteado.

Bom, a Disney coincidentemente revitalizou seu estúdio de animação trazendo algumas cabeças da Pixar e deu origem ao estrondoso "Frozen". Acho que "Valente" tenha sido seu primeiro bom passo a essa direção.

Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Voltando
Next Post »
Comentários
0 Comentários