Porque Dave Grohl é o novo rei do rock?

segunda-feira, julho 06, 2015

Creio que é consenso comum que nunca haverá um novo Micheal Jackson, um novo Hitchcock, um novo Gabriel Garcia Marquez, ou um novo Elvis. Citei alguns exemplos e também creio que mentalmente você já fez uma lista de vários outros artistas, cineastas e escritores que poderiam figurar nesse mesmo hall imortal da cultura pop. Os citei porque todos têm uma coisa bem forte em comum: são únicos. E para exemplificar esse status, o Led Zeppelin tem uma biografia chamada "Quando os Gigantes Caminharam Sobre a Terra", acho que nenhum título define melhor o que estes artistas significaram para a sua geração, concorda?

Hoje em dia com a internet e todo aquele blá blá blá interminável das redes sociais e das câmeras que estão a cada esquina, hoje é tão fácil se tornar um "talentoso mais um" do que antigamente, assim penso que é para o cinema quanto para a música. É um em um milhão que se destaca, e acho que nesse mundo que podemos ver tudo e todos isso fica bem mais claro.


É preciso se esforçar para encontrar um deus consensual entre todos os amantes da música. Podemos citar quem? Madonna, Lemmy, quem mais? É consenso que todos aqueles grandes artistas em que pensamos de primeira são de décadas passadas, portanto, a rigor não são da nova geração. Mas e Dave Grohl? Nem ele é, cara. Calma, não mesmo. Mas pra mim ao menos há alguns bons motivos para entender porque ele desponta como aquele único cara de atitude verdadeiramente rock n' roll, provavelmente, o último cara legal que se divirta essencialmente com o que faz.


Mês passado, mais precisamente no dia dos namorados (12), Dave levou um baita tombo durante um show na Suécia e acabou quebrando a perna. O que seria motivo de muitos artistas (e na verdade qualquer ser comum) cancelarem sua apresentação num motivo óbvio e compreensível, Dave assim que levou o tombo declarou: “Eu acho que realmente quebrei a perna! Então prestem atenção: vocês têm a minha palavra de que o Foo Fighters vai voltar e terminar o show, mas agora, vou ao hospital consertar minha perna. Porém, depois voltaremos e tocaremos para vocês de novo!”. 

Dito e feito, Dave voltou a tocar com a banda mesmo com a perna engessada (e uma bela dose de analgésico) pra alegria dos fãs, esses que mais tarde souberam que Dave nem foi ao hospital! Badass total com uma dose de adrenalina!

Bom, quase um mês se passou, e Dave profundamente irritado por ter que cancelar parte da turnê da banda, contrariou qualquer tipo de ordem médica para aparecer ontem junto Foo Fighters em um show sentado em um digníssimo trono à lá Game of Thrones que faria inveja a qualquer artista do mundo. 


Durante o show Dave revelou que ele mesmo desenhou o trono enquanto esteva "chapado" de anestésicos e que a equipe da banda foi a responsável oor montá-lo. Com direito a lasers, braços de guitarras, banqueta de amplificador e o logo do Foo Fighters atrás dele, você imagina uma forma mais épica de tocar sentado?

Dave sabe quem escolher pro seu time

Quando um artista ou banda chegam ao estrelato de um sucesso comercial consolidado é comum vermos um tributo deste artista ou banda a quem ajudou a moldar a sua própria música, estes que são chamados "tributos". Mas Dave Grohl resolveu fazer de forma BEM diferente.

A paixão do vocalista e ex-baterista do Nirvana pelo heavy metal pode não ser evidente, já que este trilhou sua fama pelos caminhos alternativos do rock. Mas Dave, que já de tempos em tempos aproveita para relembrar como é a sensação de segurar as baquetas tocando junto com um Queens of the Stone Age e mesmo em seus shows onde acaba trocando de posto com o batera Taylor Hawkins, resolveu usar toda sua influência não para apenas coverizar as músicas que ele curtia, mas montando um projeto chamado Probot em que ele não só tocou todos os instrumentos, mas participou de toda a criação musical juntamente com os vocalista que ele tanto admira! Tem algo mais foda que tocar com seus heróis?

Em treze faixas do mais puro heavy meta, temos as ilustres participações vocais de Lemmy Kilmister (Motörhead), Max Cavalera (Soulfly), King Diamond, Cronos (Venom), do guitarrista Kim Thayil (Soundgarden) e tantos outros. Enfim, é um álbum que não pode faltar em sua prateleira se você curte heavy metal.



Imagina só, você está sentado em uma pizzaria e nada menos que o Foo Fighters começa a tocar na sua frente do nada? Qual seria sua reação? Se sua reação é gritar e chorar, então dê um abraço!

Essa situação bizarra e surpreendente aconteceu no ano retrasado em uma pizzaria na Califórnia dias antes de a banda voltar em turnê. Aí eu te pergunto (voz de Marcelo Rezende) que artista seria capaz de tal proeza?

Dave é o cara mais bondoso que você irá conhecer


No ínicio desse ano, mais precisamente em março, Dave deu um grande passo rumo ao céu. 

Do outro lado do mundo, Dave atendeu a um pedido de um fã com um estado de câncer terminal que simplesmente queria conhecer o grupo antes de bater as botas. Resultado? Dave ficou sabendo do pedido através de uma comissária de bordo amiga do paciente e comovido, o enviou ingressos VIP para um show que a banda fará em Los Angeles. Legal né?

E o mais importante, Dave não ficou na sombra de ninguém

E essa é uma opinião minha. Quando Kurt Cobain se suicidou, era muito óbvio alguém imaginar que a longo prazo os ex-integrantes da banda, Kurt e Novoselic, ficariam a sombra das glórias que celebraram junto ao Kurt e do Nirvana. O que é até midiático, pois se hoje existem ex-BBBs (e que somente passaram a ser supostamente conhecidos assim como se fosse um título de "Dr."), é natural a gente e todo mundo se referir a alguém que participou de algo que acabou omo "ex". Uns se soltam dessas amarras como a atriz Grazi Massafera e o próprio Dave que formou a própria banda, e outros se negam, tornando imitações de si mesmos como Paul D'ianno (ex-vocalista do Iron Maiden) e 99% dos BBB's que surgiram e vão surgir.

A comparação soa esdruxula, mas ela faz sentido se você botar a caixola pra funcionar. Em suma, é preciso talento, criatividade e força de vontade para superar um passado bem sucedido e acho que essa é uma lição que vale pra todos nós. Dave superou a trágica morte de seu (nem tanto) amigo Kurt e seguiu em frente. E mais importante, cresceu com a música e com a vida. Se tornou um ótimo e completo músico que sabe muito bem obrigado o quanto ele é carismático e o quanto sua imagem representa hoje pra música e pra essa geração tão sem atitude que ele mesmo admite ver.

Como um bom brasileiro (mentira isso), sabendo que não era impossível ele foi lá e fez.
(..)

Bom, após tudo o que eu disse, se você conhece outra pessoa digna de ser "badass" faça o favor de me apresentar, ok?

Postado por André Prado
Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Você pode curtir também

0 comentários