Uma visão inteiramente nova de Divertida Mente

Divertida Mente é o filme mais emocionante de toda a trajetória da Pixar no cinema. Claro que essa é uma opinião bem particular, mas se formos levar em conta essencialmente o que a animação aborda sobre a história de Riley e o conflito de suas emoções, isso basicamente se torna a narração da história de cada um de nós, e essa identificação transcende qualquer Toy Story 3 que surja em nosso caminho. É admirável um estúdio de animação, e portanto um gênero mais direcionado as crianças, transformar um assunto tão complexo da psique humana em simples "bolinhas de gude" coloridas, tão cativantes e tão singelas. A Pixar sempre consegue e não tenho vergonha nenhuma de admitir que escorreram suor másculo de meus olhos na sala do cinema!

Pois então, quem assistiu ao longa sabe que a história de Riley Anderson é somente um pano de fundo para as cinco emoções tomarem conta da projeção, no entanto, a proposta do jovem Jason Hanzon com essa edição do filme é justamente manter totalmente o foco em Riley e nas suas expressões, mostrando como as pessoas ao redor reagem a cada momento de alegria e tristeza protagonizada pela garota que saiu de Minessota.

É uma nova forma de sentir o que Divertida Mente quis nos passar, e é ainda mais interessante que mesmo condensando a história de Riley em 15 minutos, foi surpreendente sentir que não houveram spoilers consideráveis. O filme é tão bom que isso se torna irrelevante, afinal, eles se tratam dos sentimentos. =)

Entre tantas coisas que eu penso, na verdade, não tem nada melhor na vida do que meus heróis, um bom rock n' roll, cerveja, fritas, e um bom papo com uma boa companhia.

Voltando
Next Post »
Comentários
0 Comentários
0 Comentários