Vergonha de você Phil Anselmo


No último dia 22 ocorreu a edição 2016 do Dimebash, uma comemoração que vai muito além de homenagear ano após ano o falecido guitarrista Dimebag Darrell numa reunião de amigos fodas como Dave Grohl (Foo Fighters), Robert Trujillo (Metallica), Dave Lombardo (ex-Slayer) e Phil Anselmo (ex-Pantera e o grande organizador do evento) que executaram "Ace of Spades" para homenagear o Lemmy, por exemplo. Coisa de primeira classe, veja abaixo:


No entanto, o evento dedicado a uma causa nobre que teve toda a renda revertida para a instituição Ronnie Dio Stand Up and Shout Cancer Fund, no último fim de semana tomou o caminho da melancolia e da vergonha alheia. O usuário do YouTube identificado apenas como Chris R que esteve presente no evento e também subiu uma versão de Walk ao vivo mexendo com o saudosismo dos fãs, resolveu upar outro trecho do registro que não se sabe exatamente o porquê, mas que somente nesse fim de semana ele se sentiu na obrigação de colocar no YouTube pra todo mundo ver. Não se sabe também o porque de ele ter demorado tanto a fazer isso, afinal se passou uma semana, mas aposto que o rapaz teve medo. Medo das represálias, medo da própria reação do Anselmo, mas principalmente medo e tristeza de ter que manchar a carreira de seu ídolo.

O lance é que Anselmo ao subir ao palco após ter cantado Walk visivelmente bêbado, berrou "White Power" levantando o braço em riste fazendo alusão ao nazismo. Cambaleante e carregado por um amigo que acredito que dizia a ele que "fez merda", deixou ao palco ao som de risadas vindo da plateia. Claramente as pessoas de bem não entenderam muito bem ali, muito também porque os idiotas estão presentes em todas as categorias da sociedade e no heavy metal há muitos que realmente transformam a atitude de Anselmo como uma grandessíssima piada; como grande parte da sociedade que considera que "se há o orgulho negro, porque não não podemos nos orgulhar de ser brancos?" ou "se um latino tivesse gritado "latin power" nada disso estaria acontecendo".

Além de ser um pensamento nojento enraizado historicamente na sociedade por pessoas brancas que julgam a igualdade como se já tivessem sofrido injúrias e preconceitos por serem... brancas. A atitude babaca de Anselmo só encorajou o "mimimi" filosófico dessa parte da sociedade e do próprio metal. Metal que na voz de Hammerfall, Primal Fear e Manowar sempre bradou a igualdade de todos perante o heavy metal, de brindar a sua cerveja com o irmão do heavy metal que tá sentado ao lado, saca?

Anselmo declarou que tudo se tratava de uma "piadinha interna", pois supostamente ele estava bebendo vinho branco no camarim e bêbado deixou as emoções da celebração em cima do grande parça Dimebag ficarem a flor da pele, e aí aconteceu o que aconteceu. Arrependimento? Claro que ele tem, pelo menos no que ele declarou de que "ele não merece desculpas e quem o conhece realmente, sabe que ele não compactua dessas ideias". O fato é que as declarações de Anselmo mais parecem de um adolescente que não sabe aonde enfiar sua cara, uma entidade como Anselmo, que não sabe o que dizer para não ter sua imagem afetada. Agir assim porque estava bêbado? Faça-me o favor. Bom, a bebida entra e a verdade sai, correto? Mas perai manolo, vinho branco? Isso embebeda alguém?! Vá se foder Anselmo!

Mas sabe o que sinto? Como fã de Pantera me sinto enojado, principalmente porque um cara desse está infiltrado numa das bandas que você mais curte. É como se você sentisse um murro na cara vindo de quem você mais admira, e esse é o principal ponto que a discussão chega. Será que por isso absolveremos Anselmo da sua idiotice? Será que muita gente vai viver perdoando o cara pois ele está acima do bem e do mal só porque ele agrada a seus ouvidos? Não vou parar de escutar Pantera, claro, assim como não parei de comer fast-food porque um bando de cientistas e ativistas dizem que faz mal e maltrata as vaquinhas. Na real, seria idiotice também falar que vou parar de escutar tal banda por integrante A ou B ser um completo idiota, senão ninguém escutaria o defensor ferrenho da liberdade americana, do McDonalds, das armas e da caça Ted Nugent. Mas que no alto do meu caráter, vou trocar no fundo do coração aquela idolatria de fã por uma ponta de decepção, ah vou. 

Obviamente ele vive na América, e como aqui, supostamente ele tem liberdade de pensar e dizer o que quiser, mas o problema daí é quando se confunde a própria liberdade com ignorância e estupidez através da segregação e isso muita gente não faz o mínimo esforço de entender: o respeito. Na verdade, é por isso que idiotas extremistas americanos como Donald Trump têm todo o foco que tem, e o terrorismo covarde nasceu muito do ódio a impáfia americana inegável vociferada por homens que podem não berrar "White Power" como Anselmo, mas que não pensam duas vezes em discriminar quem não pertence à sua raça. 

Dizia o Pink Floyd em "Hey You": "Juntos nós resistimos. Separados nós caímos", e é curioso que em "Rise" do álbum "Vulgar Display of Power", Phil Anselmo levanta a bandeira mais ou menos da mesma ideia: "TODOS os credos e TODOS os tipos de coisas saem das profundezas para nos fortalecer".

Ok Philip Hansen Anselmo, você disse isso da boca pra fora então?

Em outras palavras, não há uma humanidade mais fraca do que aquela que se segrega.

Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Voltando
Next Post »
Comentários
0 Comentários
0 Comentários