Resenha Série: Demolidor (2ª Temporada)

sexta-feira, abril 22, 2016


Matt Murdock/Demolidor (Charlie Cox) é talvez o herói da Marvel que retrate da forma mais crua os contrapontos entre agir com a justiça e ser um justiceiro, e bem além disso, se ser justo é decidir pela vida de alguém; e se a primeira temporada foram a formação desses conceitos, essa segunda temporada foi justamente a discussão e afirmação dos mesmos diante ao espectador.

Um Estado firme é um Estado justo sobretudo, mas utópico (ainda mais pelo o que o hoje aponta), já que pelas nuances sociais creio que seja impossível punir exemplarmente TODAS as causas. Em diversos pontos sociais o bairro de Hell's Kitchen em Nova York se assemelha a São Paulo e diversas outras metrópoles em que a corrupção é presente e crescente, e Matt Murdock já acostumado com as "jogatinas" que a vida trouxe junto com a morte de seu pai, se tornou um advogado brilhante e agora famoso por ter colocado atrás das grades nada menos que Wilson Fisk (Vincent D'Onofrio) na sua luta diária para tornar seu bairro mais justo para todos e melhor de se viver.

Tanto Frank Castle (Jon Bernthal - o babaca do Shane em TWD) como Elektra Natchios (Elodie Yung), apesar de serem personagens bem diferentes, tem essa similaridade de ver que a justiça está nas suas próprias mãos e que essa justiça (principalmente pela visão de Frank) depende deles. Mas Matt pela suas crenças religiosas e morais nega veementemente isso, discutindo com os dois e lutando contra si mesmo pois no fundo ele mesmo sabe que essa lei dos homens e moralidade do Deus em que ele acredita não são suficientes, tanto que a prisão de Fisk foi só possível graças a existência do Demônio de Hell's Kitchen porque ele foi além justamente da lei dos homens em que Matt acredita, deixando a cargo da sociedade a capacidade de ela acreditar ainda que ela é capaz de fazer algo e que os justiceiros como ele estão errados na história.

Então o que é certo, agir com a justiça ou ser justiceiro? A lei pode até ser implacável, mas a justiça por almejar ser justa dá muitas brechas, e pessoas como Fisk se aproveitam justamente delas pra se tornarem inatingíveis e invisíveis. E com Fisk na prisão, Matt e nós também passamos a aprender que o dinheiro é poder e o poder vai muito além da leis, e que as pessoas são passíveis da corrupção justamente porque Hell's Kitchen não lhes dá nenhuma perspectiva de futuro. é um salve-se quem puder se assemelhando muito ao nosso país.

Voltando a Cozinha do Inferno, nessa segunda temporada as crenças na justiça e mesmo em Deus que ele tem são abaladas e Matt sofre diariamente com isso, com essa dualidade que o deixa fraco e ao mesmo tempo consegue deixá-lo tão forte e acaba o isolando de quem o ama. Nessa vida dupla, de um lado está o intelecto e de outro a força bruta mas Matt não consegue aplicar nenhuma das duas forças na forma mais prática. Na verdade, temos aqui a pergunta: porque ser justo diante ao que ele acredita muitas vezes é tão distante do que é necessário a se fazer?

Frank Castle e Elektra Natchios tem participações bem definidas na temporada dividindo-a em duas partes sendo que cada uma delas tem um foco bem definido, o de Frank na cidade e o de Elektra trazendo os ninjas e toda máfia chinesa que vimos florescer em Nobu (Peter Shinkoda) e Stick (Scott Glenn) na temporada passada. Muitos reclamaram desse direcionamento e realmente concordo de que a segunda temporada foi um pouco abaixo da primeira, entretanto, o nível da série é tão alto que não só essa discussão de qual foi a melhor foi irrelevante pra mim, como a decisão do roteiro de apresentar ao mesmo tempo dois personagens tão presentes na vida do Demolidor foi acertada para dar ao personagem um espectro ainda maior. Se na primeira temporada vimos Matt Murdock se transformar em o Demolidor, nessa segunda vimos o mundo justiceiro ampliar-se, aumentando a expectativa do que irá vir numa terceira temporada.

Em comum as duas temporadas tiveram um desenvolvimento, olha só, não só há muito mais para se contar sobre Frank e Elektra, mas como Wilson Fisk vai voltar com toda a força prometendo que iria se vingar com todas as forças de Matt, Franklin "Foggy" Nelson (Elden Henson) e Karen Page (Deborah Ann Woll) e eu aqui imagino que a história "A Queda de Murdock" (em que Fisk descobre, chantageia e revela a identidade de Matt) nos quadrinhos é um rumo bastante provável de se tomar daí por diante.

É só eu, ou você também fica empolgado ao pensar nisso?

Para mim, Marvel's Daredevil é disparada A MELHOR série de heróis da atualidade e reafirmou o caminho certeiro que a Netflix resolveu trilhar; se você ainda não assistiu, pare e veja. Todos os personagens são simplesmente invejáveis nas atuações e trazem toda a tensão que os cerca cada um de uma forma, e a entrada da sensual Elektra Natchios (que tem o mesmo desenvolvimento de caracterização que o Demolidor teve na temporada passada) e de Frank Castle como Justiceiro (redimindo totalmente o personagem perante aos fãs) só trouxeram a série todo o fôlego que ela precisava para termos uma terceira temporada.

Postado por André Prado
Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Você pode curtir também

0 comentários