O que passa pelos meus fones #136 - Metallica

O duplo (!) "Hardwired... To Self-Destruct" vem pra atender aos meus anseios que clamavam por um álbum novo de uma das bandas que mais demoram pra fazer isso. Porra, são quase dez anos desde o automático "Death Magnetic" e não chamava o Metallica de preguiçoso por um pouco. Só que vale aqui deixar a empolgação de lado e analisar friamente a música em questão. 

Além da bateria de Lars Ulrich finalmente estar nivelada corretamente com os volumes dos outros instrumentos numa mixagem profissional (algo que o Metallica não está acostumado), nessa música temos uma continuação natural do que vimos em "Death Magnetic", só que com um tesão maior aparente, justamente o que não sentia no álbum anterior. E isso é um puta elogio. 

Claro que por uma faixa não dá pra afirmar que o Metallica recuperou seu caminho (como se o tivesse perdido) e até por isso procuro analisar mais rapidamente, mas como na nossa vida em constante evolução, o Metallica deixa uma verdadeira porrada na orelha dos mais frescos, convenhamos.

Entre tantas coisas que eu penso, na verdade, não tem nada melhor na vida do que meus heróis, um bom rock n' roll, cerveja, fritas, e um bom papo com uma boa companhia.

Voltando
Next Post »
Comentários
0 Comentários
0 Comentários