O que passa pelos meus fones #136 - Metallica

O duplo (!) "Hardwired... To Self-Destruct" vem pra atender aos meus anseios que clamavam por um álbum novo de uma das bandas que mais demoram pra fazer isso. Porra, são quase dez anos desde o automático "Death Magnetic" e não chamava o Metallica de preguiçoso por um pouco. Só que vale aqui deixar a empolgação de lado e analisar friamente a música em questão. 

Além da bateria de Lars Ulrich finalmente estar nivelada corretamente com os volumes dos outros instrumentos numa mixagem profissional (algo que o Metallica não está acostumado), nessa música temos uma continuação natural do que vimos em "Death Magnetic", só que com um tesão maior aparente, justamente o que não sentia no álbum anterior. E isso é um puta elogio. 

Claro que por uma faixa não dá pra afirmar que o Metallica recuperou seu caminho (como se o tivesse perdido) e até por isso procuro analisar mais rapidamente, mas como na nossa vida em constante evolução, o Metallica deixa uma verdadeira porrada na orelha dos mais frescos, convenhamos.

Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Voltando
Next Post »
Comentários
0 Comentários
0 Comentários