Resenha CD: Gojira - Magma


Desde que eu conheço o Gojira entendo que essa banda francesa não é nada fácil de se rotular e até escutar, e isso é um grande elogio! Rompendo barreiras dentro do heavy metal, a banda soube absorver influências transformando seu som extremo em algo único suficiente palatável para qualquer um que curte o gênero.

"Magma" é o sexto álbum da banda comandada pelos irmãos Joe (responsável pelos vocais e pela guitarra) e Mario Duplantier (esse um verdadeiro monstro na bateria) e rompe mais uma vez com o que íamos nos acostumando a ouvir da banda, começando pelo excelente "The Way of All Flash" e terminando no seguinte "L'Enfant Sauvage" aonde o Gojira procurou um som mais coeso e com menos quebras de bateria que acompanha-se claramente "From Mars To Sirius". Bom, esqueça tudo isso, "Magma" rompe essas barreiras se baseando ainda nas guitarras características do Gojira mas agora se ambientando nas experimentações, como na faixa de abertura "The Shooting Star".

A grande estrela do Gojira pra mim são as letras que tratam sobre o meio ambiente e a proteção do ecossistema, vida, morte e em outras questões filosóficas; algo que em "Magma" tomou uma direção mais melancólica e profunda no lirismo do álbum devido a morte da mãe dos irmãos Duplantier, o que acredito também que tenha colaborado para a mudança da França para Nova York, deixando o processo de composição mais espontâneo como confessaram os membros.

Dentre faixas mais familiares como a destruidora "Silvera" e a pesadíssima "The Cell", temos em "Stranded" um single extremamente grudento e pesado com a cara do Gojira, guardando toda aquela introspecção para a faixa-título "Magma" e na espetacular "Pray".

Maduro, inteligente e bem menos brutal se compararmos a "Terra Incognita" por exemplo, "Magma" tem na sua estrela as guitarras e os vocais de Joe Duplantier (que ganham cada vez mais força) ao invés da bateria destruidora de seu irmão. Pela suas diversas camadas sonoras, "Magma" força quem se dispõe a ouvir o álbum uma interpretação mais clara e que consequentemente acaba ganhando nuances diferentes a cada audição; algo que tornou não só o álbum de uma mais fácil compreensão e familiaridade para mim, mas que ao mesmo tempo o deixou complexo em si e fincado no terreno no metal progressivo.

Se você não conhece a banda. a hora é essa de conhecer. "Magma" é o marco-zero e talvez mostra a melhor forma do Gojira, sendo responsável direto por alavancar a banda, até para quem ainda tinha algum tipo de dúvida, a uma das grandes bandas do metal contemporâneo ao lado de Trivium, Lamb of God, Deftones, Killswitch Engage e Mastodon.

De cabeceira e uma das melhores coisas que escutei em 2016!

Tracklist:

1 The Shooting Star 5:42
2 Silvera 3:33
3 The Cell 3:18
4 Stranded 4:30
5 Yellow Stone 1:20
6 Magma 6:43
7 Pray 5:14
8 Only Pain 4:00
9 Low Lands 6:04
10 Liberation 3:35

Entre tantas coisas que eu penso, na verdade, não tem nada melhor na vida do que meus heróis, um bom rock n' roll, cerveja, fritas, e um bom papo com uma boa companhia.

Voltando
Next Post »
Comentários
0 Comentários
0 Comentários