Resenha CD: Paradise Lost - Symphony for the Lost


É quase um clichê (dos mais agradáveis). Quando a banda "ganha" o título de clássica ela ou faz um acústico ou toca com uma orquestra, e dado a melancolia do Paradise Lost eu sempre imaginei que a banda se encaixaria perfeitamente nessa proposta. Demorou, mas "Symphony For The Lost" atendeu a essa antiga proposta minha.

Gravado no teatro romano de Plovdiv na Bulgária, juntamente com a Orquestra de Ópera da cidade, a banda britânica dividiu o CD em dois sets, sendo que as primeiras oito músicas foram gravadas com a orquestra e as outras nove restantes, infelizmente não. Então o que poderia ter ganhado um tratamento épico no ao vivo acabou deixando aquele gostinho de quero mais.

A primeira parte é realmente épica com o tratamento que "Tragic Idol", "Over The Madness", "Last Regret" e a recente (e a melhor desse set) "Victims of the Past" ganharam, sendo que curiosamente essa última foi a única tocada do último trabalho "The Plague Within", o que acabou me decepcionando ainda mais, já que por ter curtido muito o último trabalho da banda esperava ansiosamente o tratamento que tais músicas ganhariam ao vivo, mesmo sem a orquestra - apesar que pra quem escutou "The Plague Within" e curtiu, sabe bem que a orquestra se encaixaria bem em quase todas as músicas do álbum. Bom, imagino eu que Nick Holmes não esteja muito a vontade para praticar os guturais das músicas ao vivo...

A segunda parte é recheada dos mesmos clássicos de outras apresentações ao vivo da banda, como "Erased", The Last Time" e "As I Die".

Não tem muito a falar de álbuns ao vivo a não ser que esses sejam extremamente ímpares como "Live & Shit" do Metallica, épicos como "Radio City Hall" do Heaven & Hell, marcantes como "Draconian Times" do próprio Paradise Lost, únicos como "Mothership" do Led Zeppelin ou com um diferencial como o "S&M" do Metallica; o que vale num ao vivo é deixar imortalizado em imagens a essência de uma banda.

Porém quando estes contam com um diferencial e/ou não se arriscam na setlist, a experiência se torna decepcionante pois acaba soando como um mais do mesmo (ainda mais se você foi no show desta banda como o que vos escreve). E apesar de "Symphony for the Lost" ter a primeira parte inesquecível, a segunda parte acaba deixando o lançamento aquém do que a banda merecia, ainda mais depois de um grande álbum com "The Plague Within". Pena.

Tracklist:

CD 1 (com orquestra):

01. Tragic Idol
02. Last Regret
03. Your Own Reality
04. Over The Madness
05. Joys Of Emptiness
06. Victim Of The Past
07. Soul Courageous
08. Gothic

CD 2 (sem orquestra):

01. The Enemy
02. Erased
03. Isolate
04. Faith Divides Us, Death Unites Us
05. As I Die
06. One Second
07. True Belief
08. Say Just Words
09. The Last Time

Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Voltando
Next Post »
Comentários
0 Comentários
0 Comentários