Resenha Literatura: A Revolução dos Bichos (George Orwell)

domingo, setembro 18, 2016


A premissa é simples, os animais da fazenda estavam cansados de trabalhar por anos a fio para o Sr. Jones sem ganhar nada a mais por isso. Então sedentos por um sonho de liberdade em que eles mesmos se governavam, aproveitaram o estopim que Sr. Jones "acendeu" ao esquecer de alimentar os animais, fazendo estes se rebelarem pra tomar o controle da fazenda. Após a magnífica vitória foi proclamada Fazendo dos Bichos aproveitando as infladas ideias do Major que lhes ensinou uma canção chamada "Beasts of England" que louvava os os princípios básicos da fraternidade do Animalismo dias antes de falecer, os então elevados à sua posição de liderança, os porcos Bola-de-Neve e Napoleão, tomaram a frente de comandar os próximos passos da revolução que acabara de acontecer. Para isso proclamaram sete princípios básicos:

1. Qualquer coisa que ande sobre duas pernas é inimigo.
2. Qualquer coisa que ande sobre quatro patas, ou tenha asas, é amigo.
3. Nenhum animal usará roupas.
4. Nenhum animal dormirá em cama.
5. Nenhum
 animal beberá álcool.
6. Nenhum animal matará outro animal.
7. Todos os animais são iguais.


Como se vê são preceitos simples, porém criticáveis, já que não abrem possibilidade para o "porém"; seria certo julgar todo e qualquer humano como inimigo? Bom, talvez os porcos tivessem também pensado por esse lado, mas a simplificação tinha como alvo os animais "mais desprovidos de inteligência" (as ovelhas por exemplo), que passaram a repetir esse mantra incessantemente ajudando a fortalecer o estado que ali se formava. 

Não demorou muito para os laços de companheirismo entre os animais se fortalecerem, mas também nem um pouco para surgirem as primeiras fagulhas de desconfiança. E assim Napoleão depois de uma sangrenta batalha contra o Sr. Jones e outros fazendeiros que tentavam retomar a fazenda, expulsou Bola-de-Neve alegando sérias restrições contra o antes amigo, que entre outras coisas foi acusado de conspirar com os humanos.

Pouco-a-pouco o socialismo idealizado é lentamente suprimido devido às ideias autoritárias de Napoleão que vê sua liderança como não só uma oportunidade de manter a ordem, mas também expandir o controle da recém formada fazenda diante as vizinhas. E assim, além de ordenar a construção de um moinho de vento (ideia originalmente de Bola-de-Neve) este fez algumas alterações nos preceitos antes postos além de proibir os animais de cantarem a canção antes ensinada pelo Major. 

O livro me lembrou demais as questões políticas atuais brasileiras e a bagunça que o povo insiste em se meter, sedentos por ter a verdade nas mãos e que automaticamente os cega para uma visão mais ampla sobre o cenário em que se apresenta. No fundo, não interessa se houve golpe ou não e tão pouco clamar por uma liberdade inexistente, o câncer da corrupção está muito mais enraizado do que a massa corrida que pavimentou o congresso e a mudança do sistema vigente só seria uma questão política, já que este em si, está profundamente enraizado na organização social em que vivemos. Uma real nova organização é aquela que não existe e a anarquia seria rapidamente engolida pela sede do poder que nos faz humanos.

Então entre a polarização exacerbada digna dos povos mais apaixonados e enlouquecidos que tem acontecido ultimamente, a acusação mais comum do "povo de direita" é que o PT estava trazendo pouco a pouco o comunismo aqui para o Brasil e que eles e sua roubalheira precisavam ir para a puta que pariu. Mas será que esse é mesmo o problema? Para isso vale a leitura do livro de George Orwell.

Há algumas interpretações acerca de "A Revolução dos Bichos" e até por isso ele é um livro tão bom, suficientemente pra o ler algumas vezes ao longo da vida com o intuito de achar semelhanças que antes passaram desapercebidas, mas o que torna ele tão especial além do fato de ele condensar questões políticas e sociais em uma obra simplista e gostosa de se ler, é a sua crítica óbvia a URSS Stalinista e a organização social como um todo, onde qualquer ser, porco ou humano, sedento pelo poder seria corrompido inevitavelmente.

"A Revolução dos Bichos" de George Orwell não é um guia político (por mais que é passível de enfurecer um mortadela e em contraponto ser usado por um coxinha em seus discursos inflamados), a fábula criada por Orwell se trata somente de uma sátira política, mas sobretudo é uma crítica escancarada a forma de a humanidade SE governar e a corrupção intrínseca ao ser.

PS: Vale acrescentar que para o máximo aproveitamento do livro é muito importante que você tenha prestado atenção as aulas de história. a Revolução Russa e a Inglesa estão presentes. =)

Postado por André Prado
Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Você pode curtir também

0 comentários