post Nazismo não tem lado. Nazismo é coisa de ignorante! - DescafeinadoBlog

Nazismo não tem lado. Nazismo é coisa de ignorante!

quinta-feira, agosto 17, 2017


Recentemente, uma cidadezinha do estado americano da Virgínia chamado Charlottesville entrou no mapa mundial da pior forma possível. Após a notícia de que seria derrubada uma estátua do General Robert E. Lee, um herói dos estados confederados, uma marcha de grupos Ultra-Direitistas se uniu e fez um protesto enquanto a isso. Ok, até aí é um ato de liberdade da expressão. No entanto, o protesto reuniu neonazistas defendendo a "supremacia branca" e inevitavelmente terminou em violência quando um grupo contrário envolvendo negros resolveu literalmente "cobrir de porrada" tais manifestantes.

Deixando Trump e seu posicionamento desastrado de lado, o tal General Lee foi um combatente da Guerra de Independência americana, mas anteriormente a isso ele combateu na famosa Guerra Civil que literalmente dividiu os EUA em dois lados. Conhecida também como Guerra de Secessão, ela nasceu no confronto entre norte e sul, marcados historicamente por diferenças culturais desde a sua colonização - algo que até hoje persiste, dado a um lado ser mais republicano e outro democrata. 

Abraham Lincoln, vencedor da eleição de 1860, rapidamente se opôs a expansão da escravidão no território norte-americano apoiado pelo seu rival democrata James Buchanan. Não demorou muito pro Sul odiar a ideia, já que sua economia baseada na colheita de algodão dependia muito dessa mão-de-obra (o Brasil demorou a libertar os escravos pelo mesmo motivo), ao contrário do Norte, este bem mais industrializado. Assim, sete estados do Sul ficaram fundaram os Estados Confederados da América, e Lee, líder de um deles (Virgínia) liderou incursões no Norte e acabou rendido em abril de 1865, vindo a falecer em 5 anos depois nesse mesmo estado. Símbolo de orgulho da encarnação das virtudes sulistas, Lee, acabou sendo inevitavelmente ligado a essa ideologia escravagista. E aí o motivo de sua estátua ainda estar de pé perde sentido - algo como o Minhocão ainda ter o nome de Costa e Silva, não há muitos anos atrás.

Obviamente a retirada da sua estátua iria causar protestos, mas o teor deles revelou a falta de discernimento sobre algo que deveria ser um consenso histórico: o nazismo.

Enquanto lá nos EUA há condenações de todos os lados, aqui no Brasil, principalmente neste reduto maravilhoso para a troca de ideias chamada internet, cresceu uma discussão absurda questionando sobre se o Nazismo pertence à Direita ou à Esquerda.

Nando Moura, um famoso youtuber (atenção) entrou nessa discussão ao "responder" alguns tweets do Leon do canal Coisa de Nerd quando este afirmou categoricamente que o Nazismo pertence sim a Direita. Vale aqui pontuar, dizia Tio Ben: "com grandes poderes, vem grandes responsabilidades". Usando pequenos trechos de livros de estudiosos para afirmar que o regime de Hitler pertencia sim a Esquerda e ignorando os contextos em que foram utilizados, além de claro, ofender o Leon o chamando de burro e ignorante (ele tem mestrado em relações internacionais), Nando é só mais uma mostra de irresponsabilidade onde a informação virou produto e é muito mais importante ser polêmico sem estar certo, afinal, terá sempre uma parcela que concordará com o que foi dito porque "odeia" quem discorda dele e gerará muito mais views por ele ser polêmico com suas opiniões do que por ele ser guitarrista.

Somente pelo fato de o partido de Hitler ter o "socialista dos trabalhadores" em seu nome (Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães) juntamente com o fato de Hitler ter feito um pacto de não agressão com Stalin no início da II Guerra, não justifica que o Nazismo é um braço da Esquerda, portanto Comunista; parecendo que denota-se um total desespero de tais "entendidos" em culpar a esquerda pelo acontecido graças ao também totalitarismo de Stalin, esquecendo o significado fundamental do contexto aonde o "socialista dos trabalhadores" se encaixa historicamente e criando a raiz de toda essa discussão sobre o ocorrido Charlottesville que deveria ser um consenso condenar, contudo, prefere-se aqui no Brasil usar a liberdade de expressão à favor da própria intolerância velada. E é lamentável que isto o entendimento dessa palavra esteja totalmente esquecido, também graças a uma raiva latente no brasileiro pelo PT e consequentemente sobre a esquerda e o comunismo, sendo que o partido adotou uma política muito mais liberal quando chegou ao poder do que sua ideologia pregava e a própria corrupção ser independente de partido ou ideologia, portanto, nesse jogo de "todos contra todos" o resultado será sempre zero.

No texto sobre empoderamento feminino que postei recentemente no Descafeinado sobre a declaração do Washington Olivetto pra BBC Brasil, eu atentei pro fato da responsabilidade que é ser um comunicador.

Ali, Washington poderia dizer que foi mal interpretado ou mesmo que, por ser mulher, a jornalista transcreveu o que ele disse de uma forma tendenciosa - bom, sobre este último acredito que como um publicitário inteligente que ele é, ele não faria isso; já que seria um verdadeiro "tiro no pé". Porém, mal interpretado ou não e com mimimi ou não, o fato é que Olivetto deu uma declaração no mínimo infeliz sobre um ponto que é pertinente no mundo publicitário. Ponto. Aí voltamos pra responsabilidade de ser um comunicador, logo, um formador de opinião e o quanto isso é cada vez mais perigoso no mundo atual.

Fatos históricos à parte e indo além da defesa se o Nazismo pertenceu ideologicamente a Esquerda ou Direita, fato é que como um regime nacionalista e totalitarista, a Alemanha se envergonha até hoje por ter matado mais de 40 milhões de judeus simplesmente por serem "inferiores" a eles. Não há nem motivo para discussão e nem aceitação em virtude de "liberdade de expressão". Condenar a intolerância é um dever e ponto final! 

Aprendemos a história justamente para não repeti-la, mas aonde notícias são exageradas para justificar um ponto de vista como o Jornalivre dizer que um dos Nazistas de Charlottesville faz parte do "PT alemão" são propagadas numa velocidade absurda graças ao MBL usando o "socialista" no nome do partido de Hitler e relacionando ao PT apenas pra caçar-cliques, é apenas um sintoma de como nossa sociedade anda cega, sedenta pela razão acima de tudo e a caminho de acontecimentos piores se as pessoas de bom senso não levantarem sua voz. 

Revisitar a história ou questionar artigos científicos usando a liberdade de expressão é pagar de ridículo ao invalidar estudos e o próprio passado/presente. Vide os terraplanistas, os refutadores do aquecimento global e de vacinas. Tentar compreender a "supremacia branca" só abre um precedente para que isto se repita, já que Hitler também fez uma interpretação do nacionalismo, assim como os estados do Sul norte-americano confundem isso com orgulho cultuando personagens como General Lee, logo, o escravagismo (mesmo que o General Lee apenas tenha sido um mero combatente). E olha só o que deu nos dois casos. 

Postado por André Prado
Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Você pode curtir também

0 comentários